“Fracassei em tudo o que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer uma universidade séria e fracassei. Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu”
Darcy Ribeiro

Em 17 de fevereiro de 1997 falecia, em Brasília, um dos mais brilhantes intelectuais da história do nosso país. Darcy Ribeiro foi etnólogo, antropólogo, educador, escritor, mas, acima de tudo, foi um ativo militante político em defesa da inclusão social dos setores historicamente oprimidos e marginalizados da nossa nação.

Darcy, durante boa parte da vida, se imbuiu da tarefa de conhecer a fundo o nosso povo, motivado não por ambições puramente acadêmicas (como é comum entre a intelectualidade brasileira contemporânea), mas sim porque entendia que compreender as contradições do Brasil era condição necessária para que pudéssemos mudar seus rumos. Debruçando-se sobre esta tarefa, escreveu uma vasta obra da qual se destaca o clássico O Povo Brasileiro.

A fim de, aproveitando a ocasião do aniversário de seu falecimento, colaborar para manter vivo seu pensamento, nós da Revista Pensar Contemporâneo selecionamos para apreciação dos nossos leitores o vídeo abaixo, trecho do programa Roda Viva, um dos últimos registros de Darcy Ribeiro:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS