Obra de Nassar é traduzida e será publicada nos Estados Unidos.

O escritor que trocou a literatura pela agricultura foi pauta da revista The New Yorker deste mês. A respeitada publicação americana montou um perfil sobre o escritor Raduan Nassar, questionando por que o “melhor escritor brasileiro” parou de escrever.

No texto, Alejandro Chacoff que é jornalista da revista “Piauí”, relembra a trajetória de Raduan e a entrevista com o autor dos romances Lavoura arcaica e Um copo de cólera, que foram traduzidos para o inglês recentemente e serão lançados nos Estados Unidos pela primeira vez.

Raduan nasceu no dia 27 de novembro de 1935, em Pindorama, no interior de São Paulo. A origem da paixão pela agricultura tem origem familiar. Segundo Rafael Cariello, em reportagem para a Revista Piauí, o pai do escritor, João Nassar, um cristão ortodoxo, trabalhou como lavrador no Líbano sob domínio do Império Otomano, antes de migrar para o Brasil com a mulher, em 1920. Chafika Nassar era, segundo o filho, uma criadora de mão cheia de galinhas e perus, e foi dela que veio seu gosto pela criação de animais.

Depois de 30 anos à frente de sua fazenda, em 2011, Nassar também se aposentou desse ofício. Ele doou o terreno de quase 640 hectares à Universidade Federal de São Carlos, com a condição de que elas servissem a um novo campus que facilitasse o acesso de estudantes de comunidades rurais. Hoje, ele vive em seu apartamento em um bairro boêmio na zona Oeste de São Paulo e mantém uma pequena propriedade ao lado de sua antiga fazenda com o curioso nome de Retiro Feliz.

TEXTO DENatália Figueiredo
FONTEEstante Blog
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS