O Bulletin of the Atomic Scientists atualizou o “Doomsday Clock”, ou Relógio do Apocalipse em português, e colocou-o a dois minutos e meio da meia-noite, o momento exato em que se inicia um evento devastador para a humanidade (como uma alteração climática irreversível ou uma guerra nuclear).

A decisão, tomada por dois comités de cientistas com quinze vencedores de prémios Nobel, foi justificada com o aumento dos nacionalismos extremistas, os comentários do novo presidente dos Estados Unidos em relação às armas nucleares e às alterações climáticas, a insegurança global criada pelas tecnologias cada vez mais sofisticadas e o desrespeito crescente pelo conhecimento científico. Outra justificação dada pelos coordenadores do relógio é a modernização e o aumento do arsenal nuclear de guerra pelas superpotências e a tensa comunicação entre os Estados Unidos e a Rússia, que têm 90% desse arsenal.

A última vez que estivemos tão próximos de uma guerra com efeitos devastadores na humanidade foi em 1953, quando os Estados Unidos construiram uma bomba de hidrogénio, a mais poderosa de todas as criadas, e decidiu efetuar testes termonucleares em ilhas do Oceano Pacífico.

O “Doomsday Clock” é um dispositivo simbólico e as decisões tomadas pelos cientistas são subjetivas. No entanto, os cientistas reúnem-se de seis em seis meses para estudar que eventos podem colocar-nos mais próximos ou afastados de algo como uma guerra nuclear.

FONTEObservador
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS