Quando empresas e seus relações públicas se apresentam, o discurso ético aparece. Argumentos morais, objetivadores de uma identidade, surgem em ordem crescente de valores e – no caso dos profissionais hipócritas e alienados do mercado – no juízo moral desinteressado como traço identitário maior.

Nesse contexto muitas empresas querem impor códigos de ética padronizados e que não atendem as necessidades de cada trabalhador e corporação.

No vídeo abaixo Clóvis de Barros Filho falá sobre ética de forma sensacional através de uma história.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo

Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.


COMENTÁRIOS