Eles são novos libertos e serão protegidos em um santuário porque a reintegração na natureza era impensável após vinte anos de cativeiro. Em uma fileira, um atrás do outo, em uma imagem que parece estar se movendo. Talvez esses elefantes não saibam, mas esta é a última vez que serão forçados a fazer algo contra a natureza; eles trabalhavam servindo de táxi para turistas. Com o coronavírus e o bloqueio de viagens, os operadores turísticos que geralmente organizam passeios em elefantes finalmente venderam paquidermes à Save Elephant Foundation, que há anos luta por sua proteção.

Os elefantes velhos e jovens vão para casa. Levará cinco dias de viagem. Nossa equipe do SEF está seguindo-os para garantir comida para elefantes e pessoas. Eles começam a retornar à sua terra natal. Talvez este seja o começo de uma mudança significativa na vida de muitos elefantes em cativeiro na Tailândia “, escreve a Fundação em suas redes sociais.

This is one of the other herd who is jobless and had to return home to MaeJeam because of COVID19 effects. This herd has a little baby boy only two months old named Pupa . Most mahouts and elephant owners are shaken and uncertain about their work in the days ahead. Next month our Save Elephant Foundation team will start a program of Guidance to diversify the skillsets and incomes of the mahouts and villagers. We will bring in various educators to facilitate positive learning opportunities, whether in sustainable agriculture, or alternative marketing of various products, or in connecting well with the outside world through a multimedia interface.Education is so important, and crucial to establishing a measure of hope. We won’t turn our back on them. To develop entrepreneurial skills will foster confidence to stand alone, having multiple income streams that offer independence from their past, and stepping stones to a better life for their community and for their elephants.

Publicado por Saengduean Lek Chailert em Domingo, 17 de maio de 2020

Aqui está a jornada deles:

This is one of the other herd who is jobless and had to return home to MaeJeam because of COVID19 effects. This herd has a little baby boy only two months old named Pupa . Most mahouts and elephant owners are shaken and uncertain about their work in the days ahead. Next month our Save Elephant Foundation team will start a program of Guidance to diversify the skillsets and incomes of the mahouts and villagers. We will bring in various educators to facilitate positive learning opportunities, whether in sustainable agriculture, or alternative marketing of various products, or in connecting well with the outside world through a multimedia interface.Education is so important, and crucial to establishing a measure of hope. We won’t turn our back on them. To develop entrepreneurial skills will foster confidence to stand alone, having multiple income streams that offer independence from their past, and stepping stones to a better life for their community and for their elephants.

Publicado por Saengduean Lek Chailert em Domingo, 17 de maio de 2020

A pandemia teve um impacto significativo no setor de turismo. Na Tailândia, os empresários dizem que sem os passeios eles não podem alimentar os animais, em particular, existem mais de 2 mil elefantes treinados para ser táxi. Carregado de ganchos, frustrado, espancado, muitas vezes magro e forçado a “trabalhar” desde tenra idade. Como podemos esquecer que o filhote caiu no chão depois de ser forçado a fazer o passeio com a mãe com uma corda no pescoço? Já falamos sobre seus sofrimentos muitas vezes, mas agora com o surto da pandemia, eles também corriam o risco de morrer de fome. Agora, a Fundação Save Elephant os levou sob custódia e finalmente está providenciando sua transferência para um santuário localizado na cidade tailandesa de Chiang Mai. Até agora, cem elefantes chegaram em casa.

Como pode ser visto nessas imagens, os animais que vivem em cativeiro há mais de 20 anos agora estão livres e felizes. No total, 1476 paquidermes serão salvos. Como o santuário diz, aqueles que os exploram há anos ficam surpresos ao reconhecerem aqueles lugares onde nasceram. Não nos surpreendemos porque todo animal quer morar onde nasceu, cercado pela natureza e longe do homem. Feliz viaja para esses belos animais sociais, para eles uma nova vida começa.

Adaptado de GreenMe

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.