Todos nós desejamos ter mais tempo para fazer as coisas que queremos e precisamos fazer. É cada vez mais comum se sentir como se não houvesse tempo suficiente no dia para completar tudo naquelas longas listas de tarefas e, como tal, a casa nunca é muito arrumada, passamos meses sem ver amigos e deixamos empregos importantes. Isso é para não dizer nada da nossa necessidade não satisfeita de apenas relaxar por um tempo!

Mas, por mais que desejemos preencher todos os momentos com pequenas ocupações, tarefas e atividades, a realidade é que há um limite para o quanto você pode alcançar. Estamos obcecados com o gerenciamento do tempo e com a obtenção de mais tempo no dia – mas é importante prestarmos muita atenção ao gerenciamento de energia . Só porque você tem tempo para fazer mais trabalhos e tarefas, isso não significa que você pode ou deveria!

Ignorar este fato é o que leva tantos de nós a esgotar-se…

Uma definição de Burnout
O termo burnout foi usado pela primeira vez pelo psicólogo Herbert Freudenberger na década de 1970 e descreve um estado de esgotamento que vem do estresse e esforço contínuos, sem um período de descanso suficiente para a recuperação. Embora Freudenberger estivesse particularmente preocupado com as profissões de “ajuda”(Médicos e enfermeiras, por exemplo, que se sacrificam pelos outros, acabam sendo ” esgotados ” – exaustos, indiferentes e incapazes de lidar), o termo foi ampliado para descrever qualquer caso de um indivíduo que se sente ultrapassado e incapaz de continuar trabalhando ou se exercitando. Qualquer um pode se tornar esgotado e é um evento cada vez mais comum no calendário de hoje.

Embora exista uma compreensão geralmente aceita do burnout e, embora os médicos reconheçam e tratem a condição, na verdade não há uma definição formal ou critérios diagnósticos diferentes das doenças mentais, como a depressão. Ele também pode assumir várias formas e estar ligado a outras condições, como depressão, transtornos de ansiedade ou fadiga crônica.

Causas do Burnout
Embora muitos tipos de cansaço e exaustão possam ser considerados burnout, o mais provável culpado na maioria dos cenários é a “fadiga adrenal”.

A fadiga adrenal ocorre quando você se pressiona ou se coloca sob pressão por um longo período de tempo. Estresse e pressão fazem com que nossa glândula adrenal produza hormônios do estresse, como adrenalina, cortisol e dopamina, e isso é o que nos mantém ativos, focados e impulsionados. O problema é que você pode, eventualmente, esgotar essa parte do cérebro e isso, por sua vez, leva a um esgotamento desses produtos químicos e à consequente falta de foco, energia ou impulso.

Embora não seja bom ter muitos hormônios do estresse no sistema, também não é bom não ter nenhum – pois isso nos deixa indiferentes e exaustos.

O principal a reconhecer quando se fala em burnout é que o corpo não foi projetado para sofrer estresse crônico. O estresse é a resposta da ‘luta ou fuga’. É quando o corpo produz vastas quantidades de neurotransmissores excitatórios em resposta ao perigo percebido. Isso aumenta a atividade cerebral, contrai os músculos, acelera a freqüência cardíaca e a respiração e desvia o sangue para os músculos e o cérebro para longe do sistema digestivo e do sistema imunológico.

Na natureza, o perigo seria identificado e passaria pouco depois. Isso pode tomar a forma de um predador ou de um incêndio.

Hoje, porém, o perigo pode ser mais comumente algo que permanece presente. Por exemplo, pode assumir a forma de dívida, um chefe zangado ou problemas de relacionamento. Assim, permanecemos nesse estado de luta ou fuga por muito tempo, o que tem uma série de efeitos negativos em nossa saúde e, eventualmente, nos deixa com um “tanque” completamente vazio.

Existem inúmeros cenários que podem envolver colocar-se sob imenso estresse por longos períodos de tempo. Como mencionado, isso pode ser experimentado por um cuidador ou por alguém com um membro da família que não esteja bem. Também é comum entre os indivíduos de alto desempenho que se esforçam demais e trabalham demais em detrimento de sua saúde pessoal.

Os atletas e os ratos de academia também precisam ser cuidadosos, já que o overtraining (termo usado para designar um excesso de treinamento) também está intimamente ligado à fadiga adrenal e ao esgotamento!

Sinais de Burnout e o que fazer
Sinais de burnout incluem:

– Um sentimento geral baixo
– Propensão à doença
– Exaustão extrema / letargia
– Falta de motivação
– Redução do desempenho no trabalho / fisicamente
– Fraqueza muscular
– Libido pobre

Esses sintomas são um pouco semelhantes à depressão e, portanto, pode ser difícil diferenciá-los. Note que a depressão também causa baixa auto-estima, pensamentos suicidas e desesperança. Também pode ser útil observar o contexto. Se você pode reconhecer que você foi sobrecarregado à exaustão ou submetido a um estresse por um longo período, então isso aumenta a probabilidade de que o burnout seja o culpado.

O que fazer
A coisa mais importante a fazer quando você está esgotado é dar-se uma pausa e tirar um tempo. Reconheça que há um limite para o que você pode alcançar, perdoe-se por precisar do descanso e tire umas férias bem merecidas.

Técnicas de gerenciamento de estress também podem ser muito úteis e você pode achar que o contato social também é um bom tônico natural. Evite a inclinação natural para se isolar do contato social e ficar em casa!

Também é muito importante ter tempo para cuidar de si mesmo fisicamente. Isso significa comer refeições nutritivas, o que pode ajudar a restaurar seus níveis de energia, assim como seus neurotransmissores e hormônios. O sono ajudará o corpo a se recuperar e a desfazer os danos causados ​​por períodos extensos de estresse. Examine os elementos da sua higiene do sono e veja se consegue melhorar o ambiente em que está dormindo.

O mais importante, no entanto, é abordar as causas contínuas de seu estresse e encontrar maneiras de reduzir a pressão sobre você. Isso pode significar reduzir seus compromissos ou pode estar pedindo ajuda. Seja qual for o caso, tome isso como um sinal de alerta e um incentivo para colocar sua saúde em primeiro lugar.

Fonte: PubMed Health

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.