Por: Robyn Reish

Traduzido de Uni Soul Theory

Muitas vezes romantizamos a amizade. Nós amamos nossos amigos, então gostamos de pensar em nossas conexões como espontâneas e dirigidas pelo destino.

Embora isso seja verdade até certo ponto, a amizade também tem um lado prático. Procuramos pessoas específicas para apoio social. Desenvolvemos certas amizades para um propósito, quer estejamos conscientes desse fato ou não. Há certos componentes em nossos relacionamentos que ajudam a permanecer estimulantes e agradáveis ​​ao longo do tempo.

Aqui estão quatro dinâmicas humanas que ajudam a criar amizades duradouras e satisfatórias:

  1. Precisamos de inspiração e motivação.

Você se sente atraído por pessoas que compartilham objetivos semelhantes?

É natural que nós procuremos nos aproximar e nos ligar àquelas pessoas que seguem os mesmos pensamentos, ideologia, costumes e modo de vida que a gente. Não é regra geral, mas o motivo maior que une duas ou mais pessoas em uma amizade, com certeza, trata-se desse compartilhamento dos mesmos valores. O gosto pelo mesmo esporte, mesma crença ou filosofia, até os passatempos, como brincadeiras, etc.

Claro que há aquelas amizades de anos entre duas pessoas que possuem valores distintos, porém, na maioria desses casos, há sempre algo em comum que une os referidos amigos. Pode ser uma amizade que se iniciou em tempos em que ambos compartilhavam dos mesmos valores, mas que depois a visão de mundo de um deles tenha mudado, mas não sendo obstáculo forte o suficiente para impedir a manutenção da amizade. Casos como mudança de fé, religião, posição social ou política, podem ser os motivos que comprometem a amizade.

Uma pessoa com valores semelhantes, com o mesmo pensamento, pode nos ajudar a permanecer no caminho certo quando se trata de nossas vidas pessoais. Buscamos amigos com moral similar, esperando mantê-los fortes – ou com melhores, esperando melhorar nossa própria personalidade. Nós também procuramos pessoas que exemplificam as qualidades que mais admiramos – seja ambição, criatividade ou bondade. Como Oprah Winfrey disse: “ande apenas com as pessoas que vão te levar mais alto”.

  1. Precisamos de uma saída para melhor processar nossas emoções.

Ter um ou mais pares de ouvidos onde você possa despejar uma multidão de palavras que esteja te sufocando, é uma coisa incrivelmente valiosa. Com certeza, a pessoa que vai te escutar sem te julgar, será aquela em quem mais você vai confiar, em quem mais você vai depositar seu afeto.

Porém, saiba que o amigo que merece a sua confiança e consideração não é o que vai falar o que você queira escutar, mas o que vai dizer o que você precisa ouvir naquele momento, muito embora os laços que unem duas pessoas em uma amizade partam mais do valor que uma dessas pessoas dê àquela que disse o que ela queria ouvir. Desabafar com alguém e ouvir desse alguém algo que esteja em consonância com o que pensamos, passa-nos a sensação de conforto, de alívio, como uma declaração que atesta que estamos certos.

Mas, como dito, isso pode ser um erro, uma armadilha que pode nos deixar presos dentro de algum conceito, alguma atitude nossa que talvez não seja a ideal. Podemos estar sendo reforçados a permanecer com um pensamento de injustiça, de crueldade ou de muitas outras coisas negativas, apenas porque desabafamos com uma pessoa que só vai concordar conosco (seja lá por qual motivo for).

Encontrar um amigo que possa nos ajudar com esse processo é muito valioso. Alguns podem até chamá-lo de mudança de vida.

  1. Precisamos nos divertir.

Um dos atributos universalmente mais preciosos da amizade é a alegria que traz em nossas vidas. O riso pode parecer frívolo, mas é realmente um componente crucial da estabilidade mental. Um amigo que compartilha nosso senso de humor específico pode quebrar a tensão da vida e combater o estresse. O humor é o mesmo que adiciona cor na nossa rotina diária, muitas vezes monótona.

Foi provado que uma boa dose de riso pode beneficiar a nossa saúde física e estimular a atividade cerebral. Uma sessão de riso de uma hora com uma pessoa que você ama não é uma perda de tempo. É terapia física, mental e emocional!

  1. Precisamos saber que não estamos sozinhos.

As pessoas que passaram por eventos significativos da vida juntos muitas vezes se ligam muito facilmente.  Viciados em recuperação, por exemplo, muitas vezes se encontram em grupos de apoio e formam amizades ao longo da vida. Novas mães, ajustando-se à privação e incerteza do sono, desenvolvem laços fortes que transcendem outras barreiras sociais. As pessoas que se encontram no serviço militar ou na polícia experimentam uma dinâmica semelhante. Nossos traumas e obstáculos na vida – grandes e pequenos – muitas vezes nos deixam sentindo isolados. Nutrir amizades com pessoas semelhantes pode ajudar a transformar esse isolamento em uma forma bonita de se conectar com outro ser humano.

“Se cercar de pessoas positivas que acreditam em seus sonhos. Desconecte-se das pessoas negativas que tentam diminuir sua motivação e diminuir sua ambição. Crie espaço para que as pessoas positivas entrem em sua vida. Se cercar de pessoas positivas que acreditam em seus sonhos, encorajem suas ideias, apoiem suas ambições e mostrem o melhor em você”, escreveu Roy T. Bennett.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.