Stressful people waiting for job interview

Os novos começos são sempre assustadores. Deixar um emprego, seja por demissão ou por decisão própria, é uma grande mudança. Na hora de retornar ao mercado de trabalho, conhecer as perguntas que são verdadeiras armadilhas de uma entrevista de emprego é essencial.

Pode parecer bobo, mas é muito melhor que tenhamos certeza disso. Atualmente, vivemos em um momento em que conseguir um emprego é quase um milagre. As crises econômicas, o aumento do instrumentismo e a má gestão dos negócios afetam de maneira terrível nosso futuro trabalho.

Portanto, quando temos a oportunidade de realizar um teste, é muito importante que estejamos preparados. Haverá muitos outros candidatos para enfrentar, mas se soubermos algumas das questões complicadas de uma entrevista de emprego e acima de tudo, a intenção que elas escondem, teremos mais possibilidades. Vamos nos aprofundar.

Por que você deixou seu emprego anterior?

Essa questão pode gerar um grande dilema. Talvez em seu trabalho anterior não houvesse um bom ambiente ou que sua saída tenha sido forçada devido a um erro cometido. Pense calmamente no que você vai dizer (é recomendável que você esteja preparado) e seja honesto, mas breve.

Nunca fale mal de seus ex-colegas e muito menos daqueles que foram seus chefes em uma entrevista de emprego. Seja claro com seus motivos, mas não abra a ferida. Ser respeitoso com os outros (mesmo que eles não tenham sido com você) dará uma imagem nobre e responsável de você, o que irá adicionar pontos ao seu currículo.

Por que você ficou sem trabalho por tanto tempo?

Esta é uma das perguntas mais difíceis em uma entrevista de emprego que mais o incomoda. Muitas pessoas muitas vezes passam longos períodos de suas vidas desempregadas devido à falta de sorte ou problemas pessoais. Por que devemos compartilhar certas informações sobre nossa vida privada?

A resposta é bastante ambígua. Seu entrevistador só pode querer saber se você é uma pessoa ambiciosa ou se você é proativo o suficiente. Você não precisa responder nada que não queira, mas talvez com respostas sutis como “por razões familiares” ou “por uma doença” bastam.

Você gosta de trabalhar em equipe?

A resposta a esta pergunta deve ser sempre “sim”. Não importa o que você realmente pense: você deve dar a imagem de uma pessoa que sabe trabalhar em equipe. Liderança, companheirismo e bondade são valores altamente valorizados pela maioria dos empregadores.

Da mesma forma, mostra que você também sabe trabalhar de forma autônoma, se fosse esse o caso. É tão importante saber fazer parte de um grupo quanto ser independente. Todos nós temos algumas peculiaridades estranhas que, se levadas a bom termo, podem ser grandes pontos a nosso favor.

Quais são seus pontos fortes?

Cuidado com esse tipo de pergunta capciosa de uma entrevista de emprego. Você deve ser honesto, mas não exagere. Ninguém gosta de uma pessoa soberba com um ar de grandeza. Tente parecer humilde e deixe claro que você é um trabalhador comprometido e está ansioso para melhorar a si mesmo.

Eles também podem perguntar sobre suas fraquezas. Você também deve ser honesto, mas não jogue muito combustível no fogo: lembre-se de que deseja ser contratado. Uma das qualidades mais apreciadas é saber quando calar a boca e quando agir.

Quanto você acha que deveria ganhar nesse trabalho?

Possivelmente, esta é uma das perguntas mais engraçadas, inesperadas e surpreendentes de uma entrevista de emprego. Há pessoas que dizem valores exorbitantes e acabam descobrindo que terão que receber um salário ordinário.

Mesmo que seu entrevistador pareça legal, não brinque com piadas. Ofereça-lhe um número decente e justo. Ele apreciará seu gesto e o levará em consideração ao comparar-se com os outros candidatos para o cargo.

Perguntas armadilhas são o pesadelo das pessoas que procuram trabalho. A melhor coisa a fazer frente a isso é manter a calma: não fique nervoso. É aconselhável ter as respostas preparadas possíveis.

Seja sincero e conciso nas respostas, sem ser arrogante, sem ser soberbo. Não use respostas que de tão manjadas já se tornaram verdadeiros clichês, como dizer que seu maior defeito é ser “perfeccionista”. Não ser pontual é um defeito, ser impulsivo, explosivo, inseguro, intolerante, impaciente, mentiroso, desleixado, inconveniente, que tem vícios, etc, são defeitos. Perfeccionismo não é defeito nem qualidade, não é nada e ninguém vai te dar créditos apenas por ser uma pessoa que tem compulsão pela perfeição.

Boa sorte!

Adaptado de La Mente es Maravillosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.