Morrer na época do coronavírus geralmente significa partir sozinho. No máximo, cercado por profissionais de saúde, da cabeça aos pés, sem a possibilidade de cumprimentar seus entes queridos uma última vez.

Segundo Lorenzo Musotto, conselheiro do Partido Democrata na Zona 6 de Milão, todos devem ter o “direito de dizer adeus” e, nesta situação terrível, a tecnologia pode ajudar.

“Como vereador da zona 6, compramos tablets para doar para estabelecimentos de saúde (neste caso, um hospital e um hospício) para permitir que os pacientes possam cumprimentar seus entes queridos uma última vez”, escreve Musotto no Facebook, explicando que: “A idéia surgiu por acaso do Dr. Cortellaro, chefe de San Carlo, que em uma entrevista contou sobre a dor das pessoas que entraram no hospital por conta própria e que deixaram em total solidão cientes do que estava para acontecer, e a falta de meios tecnológicos para videochamadas para parentes “.

O vereador então pede ajuda aos cidadãos: “Vou lhe dizer por que esse pensamento me machuca mais que a própria morte e porque certamente existem outras residências para idosos, hospitais e hospícios onde não há mais a possibilidade de limitar a infecção.

Infelizmente, não temos mais muitos fundos após essa despesa. Por esse motivo, peço que você entre em contato com os serviços de saúde da sua região para descobrir se os hóspedes ou os doentes desejam receber uma doação desse tipo. “Estou profundamente convencido da importância de máscaras, luvas, máquinas, mas o direito de dizer adeus não deve ser menos importante”, afirmou. “.

Com informações de BBC

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.