A biodiversidade refere-se à variedade de vida em todos os níveis da Terra, dos genes aos ecossistemas. Inclui todos os seres vivos, desde seres humanos até micróbios, fungos e invertebrados. É essencial para a continuação da vida na Terra e agrega valor aos seres humanos como fonte de alimento, combustível e remédios. Atividades cruciais, como polinização, dispersão de sementes, regulação climática, purificação de água, ciclagem de nutrientes e controle de pragas agrícolas também são fornecidas pelos ecossistemas da Terra

Efeito dos seres humanos na biodiversidade

Ao longo do século passado, os ecossistemas da Terra sofreram mudanças rápidas e houve uma enorme perda de biodiversidade devido à atividade humana.

Em um relatório publicado na revista PNAS (Proceedings da Academia Nacional de Ciências), os pesquisadores determinaram que, nos últimos milênios, os seres humanos causaram a extinção de 83% de todos os mamíferos selvagens e metade de todas as plantas

As bactérias, por outro lado, representam 13%, enquanto as plantas representam um total de 83% de toda a vida na Terra.

“Espero que isso dê às pessoas uma perspectiva do papel dominante que a humanidade atualmente desempenha na Terra”, disse o professor Ron Milo, do Instituto de Ciência Weizmann em Israel, que liderou o trabalho

Humanos decidindo quem fica e quem vai

Uma das principais conclusões do estudo não foi apenas que os seres humanos estão causando a extinção de grupos de animais e plantas, mas também determinando quais permanecem. Os pesquisadores descobriram que 70% de todas as aves que restam na Terra são galinhas de granja ou outras aves de criação. 60% dos mamíferos restantes são animais de pecuária e 36% são porcos, deixando apenas 4% como animais selvagens

As populações de mamíferos marinhos, por outro lado, caíram 80%

“Quando eu faço um quebra-cabeça com minhas filhas, geralmente há um elefante ao lado de uma girafa ao lado de um rinoceronte”, disse Milo. “Mas se eu estivesse tentando dar a eles uma noção mais realista do mundo, seria uma vaca ao lado de uma vaca ao lado de uma vaca e depois uma galinha”.

O Impacto da Agricultura na Biodiversidade

A agricultura é o maior contribuinte para a perda de biodiversidade devido ao crescimento da população global e à mudança dos padrões de consumo. Ele converte habitats naturais em sistemas de monocultura rigorosamente monitorados e libera poluentes e gases de efeito estufa no ecossistema

Grande parte do esforço despendido na redução do pedágio do sistema alimentar sobre a biodiversidade concentrou-se na intensificação da agricultura, a fim de liberar terras para proteção. No entanto, pesquisas recentes sugeriram que uma abordagem mais eficaz é focar na agricultura amiga da biodiversidade por um período maior. área

Mudança Climática e Biodiversidade

A escalada da temperatura global, o aumento do nível do mar e a intensificação das tempestades estão forçando muitos animais a sair de seu habitat para encontrar novos lugares para morar. Pesquisadores da Universidade de East Anglia, em Norfolk, Reino Unido, e da James Cook University, na Austrália, estimaram que, nesse ritmo, até metade da faixa geográfica de dezenas de milhares de animais poderá ser perdida até o ano 2100.

Suas descobertas foram baseadas no ritmo atual do aquecimento global, que é um aumento esperado da temperatura global em 3,2 graus em relação aos níveis pré-industriais no mesmo ano

Agora, os cientistas estão dizendo que o planeta pode estar enfrentando sua sexta extinção em massa.

“A aniquilação biológica resultante obviamente terá sérias conseqüências ecológicas, econômicas e sociais”, concluem o relatório. “A humanidade acabará pagando um preço muito alto pela dizimação da única assembléia da vida que conhecemos no universo.”

O que pode ser feito?

Para começar, os autores explicam que devem ser implementadas soluções de band-aid, como a criação de reservas de vida selvagem, a adoção de normas ambientais mais rigorosas e a restauração de ecossistemas. No entanto, essas não são soluções duráveis.

Como, segundo os autores, o principal fator dessa desintegração da vida é a superpopulação e consumo humano, essas são as principais áreas que precisam ser mudadas. O consumo humano precisa diminuir para níveis mais gerenciáveis e, eventualmente, devemos atingir um pico na população humana

Milo mudou seus padrões de consumo por causa dos efeitos da agricultura no meio ambiente.

“Espero que as pessoas tomem esse trabalho como parte de sua visão de mundo de como elas consomem”, disse ele. “Eu não me tornei vegetariano, mas levo o impacto ambiental para a minha tomada de decisão, então isso me ajuda a pensar: quero escolher carne de frango ou aves ou usar tofu?”

Os números relatados por esses estudos são impressionantes, mas, se tomarmos medidas globais, ainda podemos proteger a biodiversidade que nos resta.

Fonte de referência: The hearty soul

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.