Limites e regras ajudam a estabelecer uma ordem para que todos funcionemos melhor, além de regular o dia a dia e evitar conflitos. Uma criança feliz é aquela que precisa se sentir segura e protegida e, para isso, precisa de limites e regras.

A palavra “limite” tem a ver com a borda, com o fim ou fim de algo; com um “até agora é conveniente”. Quanto à educação da criança, estabelecer limites é dizer-lhe até onde ela pode ir, o que pode ou não fazer. Os limites dão à criança contenção, segurança e proteção para enfrentar o mundo.

Definir limites e manter a disciplina não é sinônimo de autoritarismo. Não se trata apenas de punir a criança para fazer o que os adultos desejam, mas engloba muitos outros aspectos, uma vez que as capacidades ou habilidades são criadas respeitando suas características individuais; Além disso, valores como respeito, tolerância e responsabilidade são promovidos; É por isso que limites e regras não são importantes apenas para a infância, mas também para a vida adulta.

Aqui estão alguns exemplos de momentos na vida de uma criança em que regras e limites são estabelecidos:

Limite de uso

Na ânsia de tocar, testar, mover, puxar, erguer … existem ações que os pais devem restringir devido ao risco de se machucarem ou fazerem com que outra pessoa se machuque

Restrição de espaço Eles estão impedidos de usar espaços físicos dentro de casa, como a cozinha, que é uma zona de risco.

Hierarquias
Eles começam a perceber que o mundo é governado por hierarquias estabelecidas, sendo a primeira a do lar.

Princípios básicos de limites e regras

• Os limites devem ser estabelecidos com base na comunicação, explicações e uma conexão emocional.

• É importante estabelecer limites e regras de acordo com a idade e as circunstâncias pessoais de cada criança.

• Eles podem ser estabelecidos na democracia.

• O que é limitado é o comportamento, não os sentimentos que o acompanham.

• Você precisa de uma liberdade guiada, aceitando sua individualidade, suas possibilidades e limitações.

• Você nunca deve mentir para ele. Se a criança enfrenta aquelas coisas de que não gosta, mas que deve aceitar, ela a está preparando para aceitar a realidade.

• A consistência é mais importante do que a intensidade. O importante é que você consiga aprender e internalizar o que lhe é pedido; Se você não respeitar a regra, coloque as consequências.

Adaptado de Psicología para Niños

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.