Ela ganhou as manchetes por ser o “golfinho mais solitário do mundo” e agora está morta, em sua solidão e naquele tanque que nunca lhe pertencera. Ela era Honey, a doce golfinha que foi “presa” no Inubozaki Marine Park, no Japão.

Uma petição foi lançada para ela e para os 46 pinguins e as centenas de peixes e répteis que permaneceram no aquário da cidade de Choshi, na prefeitura de Chiba, após seu fechamento em janeiro de 2018:

Mas parece que as tentativas de ativistas dos direitos dos animais não foram úteis, de Peta ao Projeto Dolphin, que hoje confirma a morte de Honey.

O departamento de vigilância sanitária da prefeitura de Chiba teria dito várias vezes no passado que havia visitado o golfinho e que sua saúde estava boa. De fato, durante meses, os animais foram alimentados por um funcionário, mas pouco a pouco foram praticamente deixados sozinhos e cerca de quarenta pingüins, peixes e répteis ainda sobrevivem dentro do Parque Marinho de Inubozaki.

Mel, o golfinho, foi brutalmente capturado nas infames viagens de caça de Taiji em 2005 e vivia em cativeiro desde então.

Em novembro de 2018, o aquário estava endividado e procurava um comprador, mas no ano seguinte, em 2019, o aquário foi vendido e, junto com ele, a pequena mel. No final de fevereiro deste ano, ativistas do Projeto Dolphin entraram novamente em contato com colegas japoneses na tentativa de comprar Honey, mas – diz o site – “as conversas terminaram no início de março, quando se tornou evidente que era improvável que o golfinho sobrevivesse. Mais tarde naquele mês, em 29 de março, Honey morreu “.

Infelizmente, a situação dela não é única. O Projeto Golfinho encontrou golfinhos nos Estados Unidos, Coréia do Sul, Haiti, Indonésia, Guatemala, Nicarágua, Colômbia e Brasil, todos em situação semelhante a de Mel. Em muitos casos, foram capazes de reabilitar e liberar com sucesso esses mamíferos.

Em outubro de 2019, o Projeto Dolphin, em colaboração com o Departamento Florestal Central de Jacarta, estabeleceu o primeiro santuário permanente de golfinhos do mundo. O Santuário de Golfinhos de Bali , localizado na Baía de Banyuwedang, no oeste de Bali, é o primeiro do gênero no mundo a cuidar de golfinhos anteriormente em cativeiro.

Fonte: Dolphin project

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.