Enquanto a cidade de Roma mudou drasticamente ao longo da história, muitos restos dos importantes monumentos históricos ainda estão lá para nos lembrar da gloriosa Roma Antiga. No entanto, há uma maneira de ver como a cidade mais poderosa há mais de mil anos parecia no passado.

Mais informação: flickr.com | museociviltaromana.it

O Museu da Civilização Romana, situado no distrito de Esposizione Universale Roma, em Roma, e que armazena um dos modelos mais impressionantes da cidade já criados.

É conhecido como o Plastico di Roma Imperiale, o modelo de gesso que representa a cidade de Roma no século 4 dC, na época de Constantino I.

O intrincado modelo foi criado por um arqueólogo italiano, Italo Gismondi. Foi derivado da Forma Urbis Romae. O modelo está em uma escala de 1: 250 e é feito de gesso. Gismondi começou a trabalhar nisso em 1935 e levou mais de 35 anos para terminá-lo.

Isso é mais de três vezes e meia o tempo que levou para construir o Coliseu. Hoje, o modelo é conhecido como uma das referências mais importantes da Roma Antiga.

O modelo foi encomendado por Mussolini para comemorar o nascimento de Augusto (63 aC). A escolha de reconstruir a Roma Antiga do século IV foi escolhida não por acaso. A razão por trás disso é que a cidade, durante o tempo de Constantino (306-337 AD), a cidade atingiu seu maior tamanho.

Gismondi teve que usar mapas para esta recreação e conseguiu combinar a escala do império em uma relação de um para um. O trabalho de Gismondi é tão detalhado que todas as partes do modelo se alinham perfeitamente com o mapa.

O modelo enorme, com mais de 200 metros de comprimento, nos dá a visualização precisa da cidade antiga. Também permite que as pessoas testem seus conhecimentos sobre marcos históricos.

Você consegue identificar o Coliseu? Ou o Templo de Júpiter Optimus Maximus no Capitólio? Dê uma olhada nas fotos deste modelo detalhado e compartilhe quais lugares você reconhece nos comentários abaixo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.