Os seres humanos são fascinantes. Você já se perguntou por que algumas pessoas conseguem se lembrar de certas datas muito bem e outras não? Ou por que você é uma pessoa caseira, enquanto seu melhor amigo costuma ser a vida da festa? O que nos faz pensar, sentir e nos comportar da maneira como o fazemos?

De acordo com a Simply Psychology , a psicologia é “o estudo científico da mente e do comportamento”. A arte de estudar a psicologia dos humanos pode ser rastreada até 400-500 aC , enquanto a psicologia moderna começou em 1879, quando Wilhelm Wundt abriu o primeiro laboratório de psicologia.

O laboratório de Wundt se tornaria um foco para aqueles com interesse sério em psicologia. Primeiro, abrindo suas portas para filósofos alemães e estudantes de psicologia, depois também para estudantes americanos e britânicos. O objetivo de Wundt era registrar pensamentos e sensações e analisá-los em seus elementos constituintes, da mesma forma que um químico analisaria compostos químicos, a fim de chegar à estrutura subjacente.

As cinco perspectivas principais da psicologia: Por que você é do jeito que é?

O estudo da psicologia progrediu muito, graças a Wundt e outros pioneiros. Com o passar dos anos, os psicólogos começaram a estudar todos os aspectos do comportamento humano, desde traços de personalidade até funções cerebrais. Eventualmente, os estudos começaram a examinar os mesmos comportamentos humanos de vários ângulos, incluindo perspectivas biológicas, psicodinâmicas, comportamentais, cognitivas e humanísticas. Essas ficaram conhecidas como as “cinco perspectivas principais” em psicologia.

A abordagem biológica

A abordagem biológica da psicologia se concentra em examinar nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos de um ponto de vista estritamente biológico. Nessa abordagem, todos os pensamentos, sentimentos e comportamentos teriam uma causa biológica.

Esta abordagem é relevante para o estudo da psicologia de três maneiras:

1. Método comparativo: diferentes espécies de animais podem ser estudadas e depois comparadas entre si. Isso nos ajuda a entender melhor o comportamento humano.

2. Fisiologia: estudo de como o sistema nervoso e os hormônios funcionam, como o cérebro funciona, como mudanças na estrutura e / ou função podem afetar nosso comportamento. Por exemplo, como os medicamentos prescritos para tratar a depressão podem afetar nosso comportamento por meio de sua interação com o sistema nervoso.

3. Investigação de herança: o estudo do que herdamos de nossos pais (por meio da genética). Por exemplo, se alta inteligência é herdada de uma geração para a próxima.

Cada um deles é inerentemente importante para o modo como estudamos a psicologia humana de um ponto de vista biológico, e sugere-se que o comportamento pode ser amplamente explicado por meio da biologia .

A abordagem psicodinâmica

A abordagem psicodinâmica da psicologia é mais conhecida por seus laços com Sigmund Freud e seus seguidores. Essa abordagem inclui todas as teorias da psicologia que vêem os humanos funcionando com base na interação de impulsos e forças dentro da pessoa, particularmente inconscientes e entre as diferentes estruturas da personalidade.

Freud desenvolveu uma coleção de teorias (a maioria das quais baseada no que seus pacientes lhe contaram durante a terapia) que formaram a base da abordagem psicodinâmica.

A abordagem psicodinâmica pode ser melhor descrita em suposições básicas que:

1. Nosso comportamento e sentimentos são fortemente afetados por motivos inconscientes.

2. Nosso comportamento e sentimentos como adultos estão enraizados nas experiências da infância.

3. Todo comportamento tem uma causa, e essa causa geralmente é inconsciente.

4. A personalidade é composta de três partes (ID, ego e superego).

A abordagem comportamental

A abordagem comportamental da psicologia concentra-se em como o ambiente e os estímulos externos impactam os estados mentais e o desenvolvimento de uma pessoa. Mais importante, ele se concentra em como esses fatores especificamente nos “treinam” para os comportamentos que exibiremos mais tarde.

Pessoas que apoiam essa abordagem da psicologia em detrimento de outras podem acreditar que o conceito de “livre arbítrio” é uma ilusão porque todos os comportamentos são aprendidos e baseados em nossas experiências anteriores. Em outras palavras, que fomos condicionados a agir da maneira como agimos, de forma que nada é verdadeiramente nossa própria escolha.

A abordagem cognitiva

A abordagem cognitiva da psicologia muda do comportamento condicionado e noções psicanalíticas para o estudo de como nossa mente funciona, como processamos as informações e como usamos essas informações processadas para conduzir nossos comportamentos.

Esta abordagem se concentra em:

1. Os processos de meditação que ocorrem entre o estímulo e nossa resposta ao estímulo.

2. Os seres humanos são processadores de informação e todo aprendizado é baseado nas relações que formamos com vários estímulos.

3. O comportamento mental interno pode ser estudado cientificamente por meio de experimentos que nos mostram como reagimos a certos estímulos.

Em outras palavras, a abordagem cognitiva se concentra em como nosso cérebro reage ao ambiente ao nosso redor e como nosso cérebro cognitivo tem maneiras muito específicas de processar certos estímulos que podem explicar por que pensamos, sentimos e nos comportamos de certas maneiras.

A abordagem humanística

A abordagem humanística da psicologia era considerada uma espécie de rebelião contra o que os psicólogos viam como as limitações das teorias comportamentais e psicodinâmicas da psicologia. É a ideia de que devemos abordar os estudos psicológicos exclusivamente para cada indivíduo, porque somos todos muito diferentes.

Esta abordagem se concentra em:

1. A ideia de que todos nós temos livre arbítrio.

2. A ideia de que as pessoas são basicamente boas e de que temos uma necessidade inata de tornar a nós mesmos e o mundo melhores.

3. Que somos motivados a nos auto-realizar, crescer e prosperar.

4. Que nossas experiências são o que nos impulsiona.

Essa abordagem enfatiza a singularidade de cada pessoa e cada situação, sugerindo que os outros estudos nunca podem ser totalmente precisos, pois há uma ampla gama de pensamentos, sentimentos e comportamentos humanos que podem se adaptar e mudar como nós.

Por Jaimee Bell do FreeThink

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.