Suzana Camargo / Conexão Planeta

Já não faltam atrações naturais lindas em Bonito, no Mato Grosso do Sul, mas agora, a cidade que é um dos maiores destinos turísticos do Brasil, inaugura ainda mais uma: o primeiro museu subaquático de água doce do mundo. Uma experiência imperdível para quem curte mergulho. A ideia para a novidade é inspirada nos museus já existentes em outros países, como os dos projetos pioneiros do artista britânico Jason deCaires Taylor, que cria esculturas para serem instaladas no fundo dos oceanos e se transformarem em recifes artificiais (leia mais aqui).

Em Bonito, o museu foi inaugurado dentro do complexo de ecoturismo Nascente Azul. Ele fica num grande lago com cerca de 4 metros de profundidade, onde foram colocadas esculturas de artistas locais. A principal proposta é promover a integração da arte com a natureza.

Nesta primeira exposição debaixo d’água, batizada de “Ciclos”, os mergulhadores vão se deparar com estátuas submersas, que têm como tema central a relação entre a humanidade e a natureza. E como não poderia deixar de ser, em meio à instalação, estarão nadando tranquilamente espécies de peixes nativos da região, como o piraputanga, o pacu, o lambari, o dourado, o piau e tantos outros.

Com o passar do tempo, como a água ali tem uma alta concentração natural de calcário, as obras irão se transformar, criando um trabalho em conjunto com o meio ambiente. As doze esculturas foram feitas com malha de arame inoxidável e cimento com pH neutro. Elas pesam entre 200 e 400 kg e tem de 80 cm até 2,60 metros.

Para poder aproveitar essa experiência única, o turista precisa realizar o mergulho com cilindro, e segundo a Nascente Azul, por ocorrer em um ambiente controlado, não há exigência de nenhum tipo de curso ou certificado prévio. Os mergulhos são em grupo, com até quatro pessoas, e acompanhado por um instrutor credenciado.

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.