Nos últimos meses, alarmes infundados foram disparados várias vezes sobre o fato de que nossos animais de estimação poderiam transmitir Covid-19. Agora uma nova pesquisa esclarece: além de não ser este o caso, o oposto é verdadeiro, os donos são uma possível fonte de contágio para cães e gatos.

A pesquisa, publicada na Nature Communication e o primeiro estudo do projeto COVIDinPET, foi conduzida na Itália por uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual de Milão e da Universidade de Bari.

919 cães e gatos foram amostrados, principalmente da Lombardia, uma região que, em particular na primeira onda da pandemia Covid-19, foi fortemente afetada por infecções.

Swabs moleculares orofaríngeos, nasais ou retais foram realizados nos animais com o objetivo de detectar a presença de coronavírus, mas também testes sorológicos para pesquisa de anticorpos contra Sars-CoV-2.

Em 528 casos, os resultados dos testes realizados nos proprietários também foram conhecidos. Foi assim possível fazer uma comparação e, analisando todos os dados, os especialistas chegaram à seguinte conclusão: os cães e gatos domésticos não transmitem o vírus mas podem ser infectados pelos seus donos (mas não desenvolvem a doença).

O que se constatou, de fato, é que os swabs processados ​​foram todos negativos, inclusive os realizados em cães e gatos com sintomas respiratórios ou que tiveram proprietários que contraíram o coronavírus.

Verificou-se também que 3,3% dos cães e 5,8% dos gatos, principalmente adultos e oriundos de áreas onde a circulação do vírus era mais elevada, deram positivo no teste sorológico (se considerarmos então o cães de proprietários que possuíam Covid-19 (o percentual subiu para 12,8%).

Foram os próprios autores da pesquisa que explicaram esses dados:

“Alguns dos animais incluídos no estudo entraram em contato com o vírus e, consequentemente, produziram anticorpos. Mas a negatividade de seus swabs, mesmo em animais de proprietários doentes, sugere que o tempo de residência do vírus em seus tecidos, embora suficiente para induzir uma resposta de anticorpos, é muito curto e não está associado ao desenvolvimento de doenças em animais “

Em conclusão:

“Parece que os proprietários positivos podem transmitir temporariamente o vírus aos seus cães e gatos, com os quais, portanto, devem ser evitados contatos próximos durante o período positivo do proprietário”.

A ISS também concorda com os resultados desta pesquisa, que já havia aconselhado em abril como proteger nossos animais de estimação da Covid.

Fonte: Nature Communication / via GreenMe

Créditos da imagem: Pixabay

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.