Nenhum animal merece morrer triturado, muito menos esses filhotes inofensivos. É horrível e desumano. Se os animais devem ser mortos para o fornecimento de carne, o processo deve ser indolor e suave para essas criaturas. Triturar é uma das maneiras terríveis de matar um animal e é horrível como as pessoas podem realmente realizar esse ato.

A Animal Equality, organização internacional de proteção animal, lançou nesta quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021, uma campanha para impedir que milhões de pintinhos machos sejam triturados vivos em incubatórios do Estado de São Paulo. O objetivo da mobilização é pressionar os deputados para aprovar o Projeto de Lei 1.045/2015, que proíbe a prática em todo o Estado.

Leia também: Essa animação incrível conta a história de diversos animais que enfrentam a extinção

O abate por maceração é absolutamente brutal. Quando os ovos eclodem, as crias, se saudáveis e fortes, são movidas para outro local onde são preparadas para um tamanho adequado antes de serem transferidas para uma instalação de postura.

Os pintinhos machos, por outro lado, são separados dos pintinhos fêmeas. Isso ocorre porque eles não podem pôr ovos ou não são adequados para a produção de carne. As fêmeas debilitadas e doentes não são deixadas de fora. Elas são enviadas juntas com todos os machos para um moedor de alta velocidade, que os mata instantaneamente.

Especialistas em bem-estar animal da Animal Equality elaboraram um relatório, o primeiro do gênero no Brasil, que analisa o problema e oferece soluções viáveis ​​para a indústria, por meio de uma análise de todas as tecnologias disponíveis atualmente.

Leia também: Circo alemão usa hologramas em vez de animais vivos para uma experiência mágica sem crueldade

Essas tecnologias permitem a identificação do sexo dos embriões na fase inicial de seu desenvolvimento, evitando assim o nascimento e morte de milhões de pintinhos machos.

Para evitar que pontinhos sejam triturados, método detecta sexo do animal na fase embrionária. Foto: Pixabay

“Este é um problema reconhecido internacionalmente que a indústria também está tentando resolver. Ao contrário de outros países, o Brasil, apesar de ser um grande produtor de ovos, ainda está muito atrás.” disse Carla Lettieri, Diretora Executiva da Animal Equality.

Representantes da sociedade civil não podem mais ficar parados e assistir sem se opor a esta prática horrível: por isso, a Animal Equality pede à Assembleia Legislativa de São Paulo que se posicione contra o massacre de pintinhos machos, prometendo encorajar a introdução de tecnologias capazes de salvar milhões de animais desse sofrimento.

A tecnologia de sexagem in-ovo também é uma solução economicamente sustentável. Portanto, a mudança está mais pautada em uma questão de vontade, ética e respeito à vida dos animais envolvidos na cadeia de abastecimento, além de transparência com os consumidores.

O uso de dióxido de carbono é uma melhoria?

Atualmente, a matança de pintinhos machos por gaseamento ainda está em andamento e é legal na Suíça. Isso leva a questionar o motivo por trás da proibição de trituração. Se a trituração é uma opção desumana, como o gás pode ser melhor?

Leia também: O homem tornou a Terra um inferno para os animais

Comparado com o gás, a maceração é até menos cruel, se levarmos em conta que o processo é muito mais rápido. O fato de ser mais rápido não significa que seja aceitável.

Os gases, por outro lado, criam uma sensação de queimação e deixam os filhotes ofegantes. De fato, pode demorar até dois minutos para o filhote morrer, tornando-o mais doloroso e menos rápido.

Triturar é horrível, mas o gás também é. Ambos os métodos devem ser inaceitáveis.

Com informações de Ciclo Vivo / Animal Equality

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.