Os pais trabalham incansavelmente para ganhar dinheiro e prover aos filhos um futuro melhor. Mas para Dale Schroeder, que trabalhou toda a sua vida para melhorar a vida dos jovens, é uma lenda.

Schroeder era solteiro e vivia uma vida simples, sem luxos e educação superior. Mas trabalhou duro e economizou uma pequena fortuna – quase 3 milhões de dólares. Ele não usou um dólar em si mesmo, tinha apenas dois pares de jeans, um para o trabalho e outro para a igreja e possuía um velho caminhão Chevrolet para levá-lo onde ele queria.

Schroeder cresceu pobre e nunca pôde ir para a faculdade , de acordo com KCCI . Então, pouco antes do carpinteiro, que nunca se casou e nunca teve filhos, faleceu em 2005, ele abordou seu amigo e advogado, Steve Nielsen, para discutir o que fazer com suas economias.

Mas ele conseguiu enviar 33 estranhos para a faculdade, nunca os tendo conhecido, e eles também não sabiam que ele existia. Por anos ele trabalhou duro para poder colocá-los na faculdade mesmo antes deles nascerem. O amigo de Schroeder, Steve Nielson, diz que ele era um “tipo de operário nativo” que trabalhou na mesma empresa por mais de 60 anos como carpinteiro.

Nielson disse que seu amigo ia trabalhar todos os dias, trabalhava muito e era frugal como muitos Iowans. Schroeder decidiu que seu objetivo na vida era mandar jovens para a escola.

“Ele queria ajudar crianças que eram como ele que provavelmente não teriam a oportunidade de ir para a faculdade”, disse Nielsen à emissora. “Eu disse: quanto estamos falando, Dale?” E ele disse: ‘Oh, pouco menos de $ 3 milhões’. Eu quase cai da minha cadeira.”

A maior parte desse dinheiro foi para o fundo de bolsas de estudo de Schroeder, que ajudou futuros professores, médicos e terapeutas a realizar seus sonhos de continuar com o ensino superior.

As crianças conhecidas como “Dale’s Kids” puderam frequentar a faculdade e obter seus diplomas graças à generosidade de Schroeder, que morreu em 2005. O dinheiro foi usado para ajudar 33 jovens a concluírem o ensino superior.

Kira Conrad, uma das adultas que foi uma das benfeitoras, disse que foi graças ao presente de Schroeder que ela pôde continuar sua educação. “Eu cresci em uma família monoparental e eu tinha três irmãs mais velhas, então pagar por todos nós quatro nunca foi uma opção”, disse ela. Seu objetivo de se tornar um terapeuta tornou-se uma realidade quando Conrad concordou em pagar a mensalidade depois que recebeu uma ligação.

Ela diz: “Para um homem que nunca iria me encontrar, para me dar basicamente uma carona para a faculdade, isso é incrível. Isso não acontece.

Recentemente, todos os 33 beneficiários reuniram-se em homenagem a Schroeder, quatorze anos após sua morte, alguns eram formados em faculdades e jovens profissionais, e todos sabiam que tinham que repassar os benefícios que recebiam para os outros.

“Tudo o que pedimos é que você passe para adiante o favor recebido”, disse Nielsen, expressando os desejos do falecido Schroeder. “Você não pode pagar de volta, porque Dale se foi. Mas você pode se lembrar dele e pode imitá-lo.

Que grande história de esperança para esses jovens adultos que receberam o favor de um homem que eles nunca conheceram, deveria ser o objetivo de todos nós fazermos o melhor possível não só para nossos próprios filhos, mas também para aqueles que são menos afortunados.


Com informações do YahooKCCIWhio.com

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.