Todos nós nos sentimos ansiosos de vez em quando quando enfrentamos situações que são incertas, assustadoras ou desafiadoras. A ansiedade é uma emoção humana muito natural, projetada para nos manter a salvo de ameaças potenciais. Muitas vezes, a ansiedade pode ser parecida com uma sensação de mal-estar ou preocupação. Você também pode ter sintomas físicos – como aumento da freqüência cardíaca, respiração rápida, dores de cabeça ou problemas de estômago – para citar alguns.

Os jovens em particular passam por muitas mudanças e novas experiências, por isso sentir-se ansioso é muito comum. E a pandemia COVID-19 trouxe consigo um novo conjunto de desafios, aumentando o risco de ansiedade para muitos.

Pode parecer opressor, mas há coisas que todos podemos fazer para impedir que ele assuma o controle. Aqui estão 5 etapas para tentar.

1 – Respire fundo – inspire lentamente pelo nariz e expire pela boca. Faça isso algumas vezes até se sentir mais calmo. Respirar lentamente pela barriga é uma das coisas mais simples e eficazes que podemos fazer para reduzir a ansiedade, pois aumenta o suprimento de oxigênio para o cérebro e ajuda a promover uma sensação de calma. Respirar muito rápido é comum quando se experimenta ansiedade e, na verdade, causa sintomas físicos como formigamento por todo o corpo, o que causa mais ansiedade. Você pode considerar incorporar um exercício respiratório diário à sua rotina ou tentar técnicas de relaxamento muscular progressivo (nas quais você tensiona e relaxa grupos musculares específicos); isso pode ajudar a relaxar o corpo e distrair sua mente de pensamentos preocupantes.

2 – Fale com um amigo ou alguém de sua confiança – conte-lhe como você está se sentindo e verifique como ele está. Falar com outra pessoa pode nos ajudar a aliviar parte da pressão que acumulamos em nossas mentes e também ajudar a descobrir como resolver problemas que causam ou contribuem para sua ansiedade. Lembre-se de que você também pode ser um apoio importante para quem está ansioso – tente entrar em contato com alguém esta semana.

3 – Volte ao básico – quando as necessidades básicas, como dormir e comer bem, não são satisfeitas, podemos facilmente nos sentir ansiosos e incomodados. Cuide da sua saúde física esta semana – concentrando-se em dormir bem, comer bem e fazer algum tipo de atividade física – e veja a diferença que isso pode fazer. As pessoas às vezes consomem cafeína ou se automedicam com substâncias como tabaco e álcool para ajudar a aliviar fortes sentimentos de ansiedade, mas isso só nos fará sentir mais ansiosos a longo prazo.

4 – Incorpore atividades calmantes em sua rotina diária – tente passar pelo menos uma hora fazendo uma atividade que o faça se sentir melhor, como ler um livro favorito, desenhar ou fazer um diário. Tente limitar as coisas que podem estar deixando você ansioso, como atualizar constantemente as notícias ou seu feed de mídia social. Sentir-se despreparado e com pressa também pode induzir muita ansiedade e estresse. Se você sabe que algo importante está chegando, como um teste na escola ou um prazo no trabalho, tente se planejar com antecedência e reserve um tempo para se preparar.

5 – Procure apoio adicional se sentir regularmente sintomas de ansiedade que interferem na sua vida diária. Pense se sua ansiedade está afetando negativamente sua qualidade de vida, estudos, trabalho, relacionamentos e capacidade de cuidar de si mesmo, ou se está fora de proporção com a maneira como você normalmente reagiria em uma situação estressante. Quando as coisas parecem opressoras para lidar sozinho, sua escola, unidade de saúde ou outros serviços comunitários podem oferecer um apoio importante. Pedir ajuda é um direito humano e é um sinal de força – mostra autoconsciência e coragem para superar algo difícil. Se você não sabe para onde ir, pergunte a alguém de sua confiança ou pesquise online o suporte disponível em seu país.

Adaptado de Voices of Youth– UNICEF – Créditos das imagens: Njung’e Wanjirū

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.