Cuidar do corpo e cultivar a mente foram os elementos-chave para os pais da sabedoria promoverem o bem-estar. Disso deriva a cura para a depressão e a ansiedade dos gregos antigos

A cura para a depressão e a ansiedade dos gregos antigos é baseada em uma abordagem holística interessante. Era um estilo de vida conhecido como bios pythagorikos, com o qual se ensinava as pessoas a cuidar de sua dieta, atividade física, mas acima de tudo intelectual. Proteger o corpo e cultivar a mente foram, para nossos ancestrais da sabedoria, elementos-chave para promover o bem-estar.

Hoje em dia é possível que esses elementos não pareçam tão indispensáveis. Chegamos a um ponto em nossa sociedade em que, talvez, o que mais precisamos é voltar a esses fundamentos básicos. Lá, onde podemos reduzir a complexidade de nossa vida cotidiana, economizar em termos de preocupações, cortar estímulos, satisfazer prioridades.

A filosofia é sempre um refúgio interessante para retornar de tempos em tempos para aprender, refletir e despertar os sentidos. Em um mundo em que a tecnologia derruba cada um de nossos universos pessoais, é interessante lembrar a intenção dessa disciplina. Figuras como Platão, Aristóteles ou Pitágoras não falavam apenas de conceitos morais, éticos ou estéticos.

Eles também ensinaram a arte de “viver bem”. E, ainda mais importante, se possível, o objetivo final da filosofia sempre foi ensinar as pessoas a pensar melhor, um aspecto essencial que, a longo prazo, também nos permite investir em nosso bem-estar.

“A saúde positiva requer conhecimento da constituição primária do homem e conhecimento dos poderes de vários alimentos, naturais e derivados da capacidade humana. Mas apenas comer não é suficiente para a saúde. Também é necessário exercício, cujos efeitos também devem ser conhecidos. “

-Ippocrate-

Como era o tratamento contra a depressão e a ansiedade dos gregos antigos

Nicholas Kardaras é um psicólogo clínico conhecido por seu trabalho de popularização em várias áreas: saúde mental, vícios e o impacto da tecnologia no mundo de hoje. Uma de suas publicações de maior sucesso foi, sem dúvida, Como Platão e Pitágoras podem salvar sua vida. Num artigo, apresentado durante uma conferência da American Psychological Association (APA), ele apresentou as seguintes idéias:

• Atualmente, depressão e ansiedade são dois dos maiores desafios à saúde. Além disso, a Organização Mundial da Saúde estima que em 2030 eles serão os principais problemas de saúde.

• Estudos recentes, como o realizado no King’s College London (considerado o estudo mais importante sobre ansiedade e depressão), indicam que entre 30% e 40% do risco de depressão e ansiedade é genético, enquanto entre 60% e 70% é devido a fatores ambientais. O último percentual, portanto, depende de nós e das medidas sociais que temos disponíveis.

• A origem desses distúrbios psicológicos não é encontrada apenas em nosso estilo de vida industrializado e urbanizado. Também estamos perdendo de vista nossas prioridades existenciais, nossos objetivos … Buscamos a felicidade em produtos da obsolescência planejada.

Estamos nos isolando cada vez mais, somos uma sociedade hiperconectada que, no entanto, se sente mais sozinha do que nunca.

Trabalhos como o liderado pelo psicólogo da Universidade do Kansas, Dr. Steven Ilardi, revelam outro aspecto muito interessante. Algumas populações, como os Kaluli na Papua Nova Guiné, têm um índice de depressão zero ou inexistente. Nesses locais, a população adota uma filosofia de vida muito simples que lhes permite desfrutar de um bem-estar maior.

De nossa parte, temos à mão a cura para a depressão e a ansiedade que os gregos antigos nos transmitiram . Enunciado na época por Pitágoras, é conhecido como bios pythagorikos . Vamos ver o que é.

Dieta rica em ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3 estão contidos em alimentos como nozes, azeite, salmão e sementes de chia. Curiosamente, muitos estudos atuais revelam que esses ácidos graxos agem como neuroprotetores autênticos .

Atividade física regular

O ginásio da Grécia Antiga era uma instituição dedicada à educação física e espiritual . Uma área estava, portanto, conectada à outra. Hoje em dia, muitas vezes negligenciamos a importância de treinar nosso corpo, mantendo-o ativo, desfrutando de vitalidade suficiente para sintonizar o ambiente circundante, a natureza e a nós mesmos.

Estar em harmonia com a luz do sol

Outro elemento essencial na cura para a depressão e a ansiedade dos gregos antigos. Se pensarmos sobre isso, estamos perdendo esse vínculo. Estamos cercados por luz artificial emitida por nossos escritórios e dispositivos eletrônicos. Essa luz prejudica nosso descanso e, consequentemente, nossa saúde. Em vez disso, teremos que nos expor à luz solar, ajustar nossos horários para não perder a conexão com os ciclos da natureza.

Realizar atividades que evitem pensamentos negativos

Os gregos antigos eram sábios em assuntos de alegria e relaxamento, além de cultivarem prazeres fantásticos com os quais combater as preocupações. Não é necessário entrar em hedonismo, mas sim, permitir-nos desfrutar de algumas horas durante as quais podemos nos dedicar aos nossos passatempos, para nos sentirmos livres, alegres e criativos .

Dialética

Na cura da depressão e da ansiedade, os antigos gregos certamente incluíram essa atividade interessante. Dialética é a arte de comparar, ouvir, discutir, relativizar, aprender, renovar idéias, descobrir propósitos … Implica, antes de tudo, ter contatos sociais satisfatórios que nos trazem novas perspectivas, que nos desafiam com sua energia, vitalidade e otimismo .

Os pilares da “cura grega” para a depressão não poderiam ser mais simples. Mais do que um kit de primeiros socorros, é um convite para criar um novo estilo de vida: gerar um projeto para ser os protagonistas a buscar e trabalhar em nosso bem-estar. Nós convidamos você a refletir sobre isso.

Adaptado e traduzido de La Mente ès Meravigliosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.