Como um dos países mais pobres do mundo derrotou a Covid?

O país registrou até agora 13.656 casos positivos de Covid-19 com apenas 260 mortes

Enquanto os países ao redor do mundo lutam contra o surto de coronavírus, o Haiti, um dos países mais pobres do mundo, conseguiu manter uma taxa de mortalidade mais baixa.

O país registrou até agora 13.656 casos positivos de Covid-19, com apenas 260 mortes desde que a pandemia começou no início do ano passado. O Haiti, que muitas vezes luta contra doenças infecciosas, tem uma taxa de mortalidade Covid-19 de apenas 22 por milhão, uma das mais baixas do mundo.

Países com economia e sistema de saúde melhores, como os EUA, têm uma taxa de mortalidade Covid-19 de 1.800 por milhão. Em muitos países europeus, a taxa de mortalidade é ainda maior.

Pouco depois que o primeiro caso importado de Covid-19 foi confirmado no Haiti em 19 de março do ano passado, os epidemiologistas temiam que o fraco sistema de saúde do Haiti, as condições de vida lotadas e o ceticismo da população sobre o vírus pudessem levar a uma catástrofe.

No entanto, o menor número de mortes e casos de Covid-19 continua a ser uma questão de surpresa, dada a forma como o governo respondeu à pandemia.

A maioria das pessoas desistiu de usar máscaras em público. Ônibus e mercados estão lotados. E o Haiti é um dos poucos países que ainda não administrou uma única dose da vacina Covid-19.

Quais poderiam ser os fatores que contribuíram para o sucesso do Haiti?

Os especialistas acreditam que a menor taxa de mortalidade é resultado da subnotificação. Segundo dados da Worldômetros, o país com 11 milhões de habitantes já realizou 5.216 exames por milhão, um dos mais baixos.

Em junho passado, o Haiti foi atingido por uma onda significativa de infecções. Naquela época, o país tinha apenas dois centros de teste Covid-19, o que tornava impossível rastrear o número real de infecções. O país já realizou 60.085 testes Covid-19 em 5 de maio.

O Dr. Jean “Bill” Pape, ex-co-presidente da comissão nacional do Haiti para lidar com a pandemia Covid-19, diz que uma combinação de fatores manteve a taxa de mortalidade tão baixa.

A comissão foi dissolvida no início deste ano.

O médico haitiano de 74 anos disse à NPR: “Temos muito, muito poucos casos de Covid. Às vezes são dois, às vezes zero, às vezes são 20 casos.

“Mas não estamos vendo uma segunda onda, como pensávamos que aconteceria.”

A Dra. Jacqueline Gautier é membro do grupo consultivo técnico nacional sobre vacinação contra Covid-19. Ela também é diretora do Hospital Pediátrico St Damien, nos arredores de Port-au-Prince.

De acordo com Gautier, um dos fatores mais importantes que contribuem para a menor taxa de mortalidade do Haiti foi a idade média do país.

O Haiti é um país jovem com idade média de 23 anos, e as infecções por Covid-19 tendem a ser menos graves entre a população mais jovem. Ela também sugere que um número significativo de pessoas que podem ter sido infectadas pelo vírus no verão passado não apresentaram sintomas e aumentaram a imunidade.

Gautier disse: “Além disso, há muitos outros grandes problemas que o país está enfrentando. Então, as pessoas não veem a Covid como um grande problema para nós. E quem pode culpá-los?”

O Haiti é um dos países mais pobres do Hemisfério Ocidental, mergulhado na pobreza, instabilidade política, grandes flutuações no valor da moeda local, corrupção, gangues armadas.

De acordo com a ONU, a renda média anual dos haitianos é inferior a US $ 2.000 por ano, o que os priva do luxo de trabalhar em casa.

“A maioria dos haitianos voltou a trabalhar. Porque se eles não trabalham, não comem, sua família não come”, disse Pape.

Como os fatores que contribuíram para o sucesso do Haiti continuam sendo debatidos, o país praticamente voltou ao modo como a vida era antes da pandemia. As escolas estão abertas. Milhares de pessoas lotaram o litoral norte de Port-de-Paix para o carnaval em fevereiro.

Embora a Dra. Gautier tenha quase certeza de que o Haiti se esquivou da bala Covid-19, ela teme que um aumento mortal também possa ocorrer no futuro do Haiti.

Informações de NPR

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.