Hábitos que transformarão sua casa em uma casa tóxica

O lar é o lugar onde as crianças adquirem seus primeiros hábitos, desenvolvem suas habilidades básicas e adquirem o apego que determinará sua maneira de se relacionar. Portanto, é essencial que os pequenos se sintam seguros, amados e protegidos em casa. No entanto, às vezes o estresse diário, tensões e preocupações nos afetam e acabamos despejando esse desconforto no restante dos membros da família. Dessa forma, podemos transformar a casa em um ambiente emocionalmente tóxico que deixará feridas em nossos filhos.

Os 5 hábitos que você não deve deixar entrar em sua casa

  1. Os gritos

Um estudo realizado na Universidade de Harvard revelou que gritar com crianças freqüentemente pode afetar permanentemente sua estrutura cerebral. Segundo esses neurocientistas, os gritos podem causar falta de integração entre as duas metades do cérebro, o que pode desencadear problemas emocionais e comportamentais a médio e longo prazo.

O problema é que, se gritarmos com crianças, elas assumirão que é uma forma válida de comunicação e desenvolverão um estilo relacional mais agressivo. Além disso, muitas crianças assumem que, quando os pais gritam com elas, é porque elas não as amam, pois não conseguem entender que, na realidade, esses gritos são apenas um sinal de frustração.

  1. O desordem

Uma casa arrumada é um lugar para o qual queremos voltar e onde é um prazer estar. Obviamente, quando há crianças, é difícil que tudo esteja perfeitamente organizado, mas é importante que a desordem não reine em sua casa, pois gera estresse, tensão e ansiedade.

A confusão vista no espaço é transferida para a mente e pode afetar o tempo de atenção. Além disso, se seu filho aprender a se organizar desde tenra idade, mais tarde será mais fácil gerenciar sua vida escolar, porque a organização é uma habilidade que se reflete em todas as facetas da vida cotidiana.

  1. Hostilidade

Se os pais agirem como se o lar fosse um campo de batalha, criarão um ambiente hostil que as crianças podem perceber. De fato, uma investigação realizada na Universidade Duke com 1.299 crianças e seus pais, de 9 países com diferentes origens culturais, revelou que, quando os pequenos percebem que os outros agem com hostilidade, eles respondem da mesma maneira, o que gera neles um padrão de agressividade.

Essas crianças aprendem a desconfiar dos outros e ficam na defensiva, e é por isso que muitas vezes interpretam estímulos neutros como agressão e respondem mais violentamente. Portanto, certifique-se de que haja sorrisos, cooperação, amor e paz em sua casa.

  1. A desvalorização

Os pilares da auto-estima são construídos dentro da família. Portanto, se você nunca elogia seu filho por seus resultados, se você minimiza constantemente suas realizações e o compara com outros, você acabará promovendo uma auto-estima muito negativa.

Há lares em que seus membros são apanhados nesse tipo de dinâmica, em que prevalecem censuras, punições e culpa. Esse ambiente é muito negativo porque gera pessimismo e frustração. A criança aprenderá que nada que ele diz ou faz é suficiente, então é provável que desenvolva um espírito derrotista.

  1. Medos

É normal que os pais se preocupem com a segurança de seus filhos, razão pela qual eles geralmente assumem um estilo de educação superprotetor e apreensivo. No entanto, deixar que os medos se sintam em casa em sua casa não é uma boa idéia, porque eles transmitirão à criança a crença de que o mundo é um lugar perigoso.

Embora seja importante que as crianças não se exponham a riscos desnecessários e aprendam a se defender de perigos em potencial, também é essencial garantir que elas desenvolvam boa autoconfiança e autoconfiança que as motivem a assumir novos desafios. Se em casa tudo o que percebem é medo, limites e negativos, nunca desenvolverão seu potencial.

Adaptado do site Etapa infantil

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.