Uma expedição científica na costa da Austrália fez uma descoberta impressionante: um sifonóforo, um predador marinho que vive nas profundezas do oceano, com cerca de 46 metros de comprimento. A criatura em si já era conhecida, mas um exemplar tão longo nunca tinha sido registrado antes.

Cada sifonóforo é uma colônia de organismos multicelulares chamados zooides. Esses organismos menores vivem ligado uns aos outros, cada um com a sua função (reprodução, proteção, digestão), e são incapazes de viver de forma independente.

Anteriormente, o maior animal documentado era uma Cyanea capillata, popularmente conhecida como Água-viva-juba-de-leão, cujo comprimento chegava a 36 metros. Para efeitos de comparação, a Baleia Azul, um dos maiores mamíferos, pode chegar a cerca de 30 metros de comprimento.

Nerida Wilson, cientista que liderou a expedição, disse que a descoberta do enorme sifonóforo aconteceu quando os pesquisadores menos esperavam, já que eles chegaram a uma profundidade de 4.439 metros, mas a criatura só apareceu quando eles estavam retornando para a superfície, a 630 metros.

A maioria dos cientistas já tinha saído da sala de controle. A notícia logo se espalhou e as pessoas entraram na sala de controle para compartilhar a empolgação. Foi simplesmente incrível ver esse enorme organismo se espalhando como um OVNI em espiral, pairando sobre uma coluna de água. Nós não podíamos acreditar no que estávamos vendo.

Além do sifonóforo, a equipe também coletou amostras de outros animais que eles suspeitam que podem não ter sido documentados até então.

Fontes: Jovem Nerd, CNN, Guardian

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.