Estabelecer limites para crianças entre 3 e 6 anos de idade é ensiná-las não apenas a obedecer, mas também a entender que existem coisas que são permitidas e outras que não são toleráveis. Definir regras básicas e ensinar obediência precoce é importante para a família.

Os pais geralmente podem começar assim que seus filhos entenderem a palavra “não”; normalmente dentro de um ano. O momento ideal para começar pode ser quando a criança começar a engatinhar e conseguir alcançar as coisas com mais facilidade.

Quando os pais começam cedo a demonstrar e estabelecer os limites, não é apenas mais fácil para eles, mas para os pequenos também. Hoje, queremos nos concentrar nas idades entre 3 e 6 anos, já que estabelecer limites pode ser um pouco mais complicado, pois eles tentam mostrar que “também sabem fazer as coisas” de uma maneira diferente da que você deseja que sejam feitas … Embora, é claro, sem ter entendimento suficiente para poder fazê-las bem.

Entre 3 e 6 anos

Nessa idade, os pais começam a encontrar mais problemas ao estabelecer padrões e que seus filhos cumprem com eles. Até os três anos de idade, as crianças tendem a ser mais “dóceis”, mas é a partir de então que as coisas ficam complicadas, mesmo depois dos “terríveis dois anos”. As mudanças evolutivas que eles experimentam significam que os pais não param de encontrar obstáculos em sua educação.

Agora é mais importante do que nunca estabelecer limites para as crianças, para que elas comecem a ser mais obedientes, mas sempre respeitando-as como pessoas e, acima de tudo, sem usar o medo ou a autoridade tóxica nas estratégias educacionais. Pelo carinho que você pode obter, basta ter paciência suficiente para criar bons resultados, não apenas no curto, mas também no longo prazo.

Prestar atenção na mãe e no pai

Aos três anos, as crianças praticamente desenvolveram a linguagem e sabem explicar o que sentem. Eles enfrentam mais os adultos e as birras são mais fortes. Ao mesmo tempo, demonstram maior autonomia e melhor entendem seu ambiente, bem como as normas sociais para uma boa convivência. Rotinas e hábitos ainda são importantes, mas agora regras e limites também aparecem em casa e na esfera social com maior regularidade.

Nessa idade, as crianças começam a ser mais sociais com outras crianças; portanto, as normas sociais passam a ter grande importância na educação (não gritar em locais públicos, não bater nos outros, não correr em lugares inadequados, não se levantar da mesa enquanto come, brincar com os irmãos com facilidade, etc.).

Consequências e reforço positivo

Obviamente, apenas com o estabelecimento de normas surgem as conseqüências quando essas regras não são cumpridas, e também um reforço positivo quando são atendidas. As crianças aprendem que ignorar as normas significa ter um resultado negativo (conseqüência) e cumprir-las, significa resultado positivo positivo (reconhecimento dos pais).

Mas antes de começar, você deve levar em consideração algo muito importante: você deve ensinar ao seu filho as regras estabelecidas e garantir que ele as entenda. Então, outro aspecto necessário a ser lembrado é que você deve ser coerente, consistente e constante; isso significa que você deve seguir as regras e as consequências; caso contrário, elas não terão efeito e serão inúteis. Somente fazendo as coisas bem, seus filhos podem internalizar as regras.

Seja firme, mas flexível ao mesmo tempo, consistente com as regras e as consequências e, acima de tudo, você deve ser o melhor exemplo a seguir para seus filhos.

Traduzido e adaptado do site Etapa Infantil

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.