Uma menina italiana de 10 anos morreu asfixiada na quarta-feira (20) em Palermo (Sicília, sul da Itália), enquanto participava de um desafio viral proposto pela rede social TikTok, informou a imprensa italiana nesta sexta-feira (22).

Antonella, que participou do chamado “desafio do apagão”, no banheiro de sua casa, colocou um cinto no pescoço com o objetivo de ficar sem respirar o maior tempo possível, enquanto gravava a cena com seu celular.

A irmã, de 5 anos, encontrou o corpo inconsciente. Antonella foi levada pelos pais ao Hospital Infantil de Palermo, mas não sobreviveu.

“Blackout challenge” é o desafio proposto que consiste em que as crianças interrompam a respiração até desmaiar e, com isso, experimentar fortes sensações. Todo ano provoca acidentes, alguns fatais.

As redes sociais são “lugares” cheios de armadilhas para as crianças

Infelizmente não é a primeira vez que uma criança acaba fazendo gestos extremos, colocando sua vida em risco por desafios triviais e perigosos lançados no Tik Tok, uma rede social muito querida principalmente por adolescentes. Já foi noticiado a história de uma menina de 4 anos que, depois de ver um vídeo no Tik Tok em que uma jovem fingia se enforcar, tentou imitar a protagonista, correndo sério risco de morrer.

Muitas vezes nos esquecemos que as redes sociais são locais virtuais cheios de armadilhas para as crianças e os pais devem ter isso em mente. Especificamente, o TikTok também é um dos aplicativos mais usados ​​por pedófilos devido à facilidade com que eles podem atrair menores.

O que envolveu a menina de Palermo é mais um caso de notícia que confirma que as redes sociais podem se tornar ferramentas muito perigosas, principalmente se deixadas nas mãos dos mais pequenos.

Aqui estão as dicas da polícia que todos os pais devem ler:

• Converse com os jovens sobre os novos desafios que estão surgindo online para que eles não fiquem fascinados se aprenderem sobre eles por meio de colegas ou nas redes sociais;

• Certifique-se de que eles entendem os riscos envolvidos na participação em desafios online. As crianças muitas vezes se consideram imortais e invencíveis porque estão “no início da vida”: na realidade, devido à imaturidade de sua capacidade de prever as consequências do que fazem, podem ser avaliadas como um comportamento letal inofensivo.

• Alguns desafios expõem você a riscos médicos (tomar sabonetes, medicamentos, substâncias comumente usadas como canela, sal, bicarbonato, etc.), outros levam a ações que podem causar ferimentos graves a si mesmo ou a outras pessoas (selfies extremas, sufocação auto-induzida, tropeçar, saltar em carros de corrida, deitar nas pistas, etc);

• Monitore a navegação e o uso de aplicativos sociais, incluindo a definição de um tempo máximo para ficar conectado. Mostre-se curioso sobre o que mantém as crianças grudadas nos smartphones: você poderá entender melhor o que as atrai e como orientá-las no uso para estarem sempre seguras.

• Se você encontrar vídeos sobre desafios perigosos online, se convites para participar de desafios aparecerem nas redes sociais, se seus filhos receberem vídeos sobre os desafios de colegas, denuncie imediatamente às autoridades.

Reforçando:

Vale lembrar que muitos desafios no TikTok já acabaram em morte, como o “desafio do Benadryl”, que matou uma menina de 15 anos por overdose.

Esse “desafio”, como o nome pressupõe, consiste em tomar altas doses do anti-histamínico Benadryl. Os usuários do Tik Tok filmam a si mesmos experimentando alucinações em decorrência da superdosagem.

Com informações de GreenMe / Imagem de capa: Facebook / Mara Ordinario

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.