O Dia Mundial do Mal de Alzheimer é comemorado em 21 de setembro de cada ano.

Neste dia, o mundo concentra seus esforços na conscientização sobre a doença, que está entre as formas mais prevalentes de demência – isto é, um conjunto de distúrbios que perturbam a função mental.

O Dia Mundial do Alzheimer é a oportunidade perfeita para levantarmos nossas vozes e encontrarmos novas formas de combater seus efeitos!

História da Data

O Alzheimer é uma forma de demência que afeta a memória e prejudica as funções psicológicas mais básicas do dia a dia. Ele é responsável por algo entre 60% e 80% dos casos de demência.

Alois Alzheimer, um psiquiatra alemão, foi o primeiro a identificar a doença enquanto tratava uma mulher alemã em 1901. A doença recebeu seu nome.

Essa condição é muitas vezes considerada como uma doença familiar devido ao impacto que tem nas pessoas mais próximas da vítima. A doença de Alzheimer está entre as principais causas de morte nos Estados Unidos. Não há medidas de prevenção e não tem cura, nem mesmo a progressão da doença pode ser retardada.

Fundada em 1984, a Alzheimer’s Disease International (ADI) é encarregada de apoiar as vítimas e realizar ações de sensibilização para educar as pessoas e agilizar as políticas relacionadas.

Em 1994, a ADI introduziu o Dia Mundial do Alzheimer em Edimburgo durante sua conferência anual em 21 de setembro para marcar seu 10º aniversário. A ADI coordena o Dia Mundial da Doença de Alzheimer e o Mês Mundial da Doença de Alzheimer em todo o mundo, trabalhando com organizações e associações membros para organizar eventos e criar conscientização.

O primeiro ‘Relatório Mundial de Alzheimer’ foi lançado em 2009 no Dia Mundial da Doença de Alzheimer e relatórios anuais têm sido publicados todos os anos desde então. Embora o impacto da observância esteja se espalhando, a lacuna de informações e a estigmatização sobre a demência continuam sendo um problema. Muitas pessoas veem a doença como uma parte natural do processo de envelhecimento.

É verdade que o avanço da idade está entre as principais causas da doença de Alzheimer, mas não é completamente uma doença de idosos. Existem cerca de 200.000 pessoas com menos de 65 anos lutando contra a doença de Alzheimer apenas nos Estados Unidos.

Para marcar essa observância, indivíduos e organizações preocupados podem participar criando campanhas de conscientização e alcançando a associação de Alzheimer de seu país!

Abaixo, separamos 4 coisas revolucionárias que aprendemos sobre o Alzheimer nos últimos 4 anos. Confira!

1. 42 genes foram identificados em pesquisa publicada na Revista Nature como ligados ao Alzheimer. Conhecê-los pode ser a chave para combater a doença.

Saiba mais clicando aqui.

2. Dentro do ambiente acadêmico e hospitalar, foi criado o conceito de “Aldeias” construídas especificamente para os pacientes viverem uma vida aparentemente normal, mas com a vigilância dos cuidadores.

Saiba mais clicando aqui.

3. Um medicamento para Alzheimer foi aprovado pela ‘Anvisa norte-americana’ pela primeira vez em 20 anos

O aducanumab tem como alvo a causa subjacente da doença de Alzheimer, a forma mais comum de demência, em vez de seus sintomas.

Saiba mais clicando aqui.

4. Por meio de exames de sangue, podemos detectar a presença de amiloide no sangue, um tipo de fibrila proteica que, quando se acumula no cérebro, pode facilitar o surgimento de demência.

Saiba mais clicando aqui.

Compartilhe o post com seus amigos! 😉

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.