Nascido por volta de 1832 – cinco anos antes da coroação da rainha Vitória – Jonathan, a tartaruga, deve completar 187 anos em 2019. Isso faz dele o animal terrestre mais antigo conhecido hoje em dia.

Isso o coloca a apenas um ano de distância do título de quelônio mais antigo de todos os tempos , atualmente mantido por Tu’i Malila, uma tartaruga irradiada que atingiu pelo menos 188 anos de idade. Ela era de propriedade da família real de Tonga entre c. 1777 e 1965, e lhes haviam sido apresentados pelo explorador britânico Capitão James Cook durante sua terceira e última viagem ao Pacífico (1776-80).

Jonathan a tartaruga retratada em fevereiro de 2019

Em sua vida, Jonathan viveu duas guerras mundiais, a Revolução Russa, sete monarcas no trono britânico e 39 presidentes dos EUA.

Seu ano de nascimento estimado também é anterior ao lançamento do Penny Black, o primeiro selo postal (1840), a construção do primeiro arranha-céu (1885) e a conclusão da Torre Eiffel (1887) – a estrutura de ferro mais alta .

Outros marcos humanos que ocorreram em sua longa vida incluem a primeira fotografia de uma pessoa (1838), a primeira lâmpada incandescente (1878) e o primeiro vôo motorizado (1903).

Uma foto datada de c. 1882–1886 tomadas nos terrenos de Plantation on St Helena – pouco depois de Jonathan chegar à ilha (Jonathan é mostrado à esquerda)

Agora, o animal mais velho do mundo – entre os animais terrestres – Jonathan sobreviveu a pessoa mais velha de sempre por cerca de 65 anos. A maior idade autenticada para um humano é um “mero” 122 anos e 144 dias, alcançado por Jeanne Calment (1875-1997) da França.

Embora originário das Seychelles no Oceano Índico, Jonathan reside na remota ilha de Santa Helena no Atlântico Sul desde 1882.

Santa Helena é talvez mais conhecida por ser o local de descanso final de Napoleão Bonaparte – que foi exilado aqui depois de sua derrota na Batalha de Waterloo em 1815. No entanto, o imperador banido e Jonathan nunca teriam se encontrado, pois o primeiro morreu mais de seis décadas antes da chegada deste réptil que quebra recordes.

Quando Jonathan foi trazido para Santa Helena, ele já estava totalmente crescido. Baseado em dados conhecidos para esta espécie, isso indicaria que ele tinha cerca de 50 anos de idade na época (daí seu ano de nascimento estimado de 1832 para torná-lo o animal de vida mais longa em terra). Jonathan foi presenteado ao então governador do território ultramarino britânico, William Gray-Wilson (no cargo entre 1890 e 1897), e desde então vive na residência do governador.

A casa de Jonathan é o gramado bem cuidado de “Plantation”, uma mansão georgiana construída pela Companhia das Índias Orientais em 1791-92. Hoje, ele compartilha o terreno com outras três tartarugas gigantes: David, Emma e Fred.

 

Durante muito tempo, Jonathan foi identificado como uma tartaruga de Aldabran do atol de Aldabra, que faz parte do arquipélago de Seychelles. (Todas as outras tartarugas com as quais ele vive são Aldabrans.) No entanto, um exame mais detalhado de sua concha pelo Seychelles Nature Trust (e vários outros profissionais zoológicos) levantou a possibilidade distinta de que ele pudesse ser uma tartaruga gigante das Seychelles muito mais rara.

Essa espécie em particular (alguns argumentam que “subespécies” ou “morfotipo” é mais preciso) já foi considerada extinta, mas agora pode haver cerca de 80 globalmente, segundo o Grupo de Especialistas em Tartarugas e Tartarugas Aquáticas da IUCN.

Considerando sua grande idade – ele já está bem além da média de vida de 150 anos -, Jonathan está com uma saúde surpreendentemente boa. Ele não escapou completamente ileso, no entanto.

A tartaruga mais velha do mundo é virtualmente cega devido à catarata e parece ter perdido todo o sentido do olfato, mas mantém excelente audição e um apetite saudável. De acordo com seu veterinário, ele ainda tem “uma boa libido” também, o que é um indicador de boa saúde interna.

Jonathan, St. Helena's ancient tortoise, awaits visitors

He is a tourist attraction worth travelling a long way to see — Jonathan the giant tortoise is perhaps the world's oldest land animal, living in pampered luxury on the remote British island of St. Helena

Posted by AFP News Agency on Sunday, November 26, 2017


Fontes sugeridas:
guinnessworldrecords, justsomething, anonews.co

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.