A maioria dos pais está ciente da importância de seus filhos desenvolverem uma autoestima adequada. Porém, muitos deles não conseguem estimular a autoestima de seus filhos de maneira adequada. Na verdade, às vezes adotam comportamentos ou dizem frases que, ao invés de aumentar sua autoestima, acabam limitando seu potencial e seu desenvolvimento. Eles geralmente não fazem isso de propósito, mas os efeitos negativos de longo prazo ainda deixam uma marca emocional profunda em seus filhos.

As consequências de ter baixa autoestima na infância

Já foi demonstrado que crianças com baixa autoestima têm uma autoimagem negativa, não confiam em suas decisões e se sentem inferiores aos colegas. Da mesma forma, tendem a ter problemas para fazer amigos, pois têm dificuldade de ser empáticos e assertivos, ao mesmo tempo que desenvolvem grande insegurança, que às vezes se escondem em comportamentos despóticos e violentos.

No longo prazo, esses pequeninos se tornam pessoas que temem enfrentar a vida, por isso suas metas e objetivos são muito limitados. À medida que crescem, muitas vezes estão sujeitos aos desejos de seus amigos, parceiros ou colegas de trabalho, pois são incapazes de defender seus pontos de vista e fazer valer seus critérios. Eles também são mais propensos à depressão, ansiedade e estresse porque muitas vezes não têm estratégias emocionais suficientes para lidar com os problemas e conflitos do dia-a-dia.

Como os pais afetam a auto-estima dos filhos?

  1. 1.Deixando-os sempre vencer

Muitos pais permitem que seus filhos ganhem para evitar que tenham um acesso de raiva ou fiquem tristes. Desta forma, as crianças ficam felizes, pois experimentam uma agradável sensação de empoderamento. No entanto, essa tendência pode ter seus efeitos psicológicos, pois priva-os da capacidade de desenvolver estratégias eficazes para lidar com a derrota e o fracasso. Uma pesquisa conduzida na Universidade da Virgínia revelou que as crianças que são indevidamente autorizadas a vencer desenvolvem uma percepção distorcida de suas habilidades. Eles também negligenciam informações relevantes que poderiam ajudá-los a resolver problemas por conta própria.

  1. 2. Fazer as coisas em seu lugar

Às vezes, os pais tendem a assumir o controle das atividades dos filhos pensando que eles tornam a vida mais fácil para eles. No entanto, ao fazer as coisas em seu lugar, você não está fazendo nenhum favor a eles, pelo contrário, está negando a eles a oportunidade de desenvolver habilidades de vida necessárias e desenvolver estratégias para resolver seus próprios problemas. Você também está incutindo neles a necessidade de serem dependentes, ao mesmo tempo que os impede de assumir a responsabilidade por suas próprias ações. Se você sempre fizer coisas por eles, você os fará sentir que não são capazes de alcançar o que se propuseram a fazer.

  1. 3. Evitar que eles cometam seus próprios erros

Cometer erros também é uma forma de aprender. No entanto, muitos pais ignoram esse detalhe e evitam que seus filhos cometam erros para que não tenham que sofrer as consequências de suas decisões erradas. O engraçado é que quanto mais as crianças evitam situações em que estão sujeitas a erros, mais medo terão de assumir novas tarefas e menos correrão riscos no futuro. No longo prazo, eles se tornarão pessoas incapazes de lidar com a frustração e o fracasso e com muito poucas habilidades para lidar com a adversidade.

  1. 4. Comparando-os com outros

Comparar os filhos com os irmãos ou amigos da escola é um erro muito mais frequente do que os pais imaginam, embora muitas vezes não percebam. O pior é que esses tipos de comparações geram grande insegurança nas crianças, ao mesmo tempo que afetam sua autoestima, por se sentirem “boas o suficiente” com relação aos irmãos ou amigos. Ao comparar crianças com outras crianças, só é possível prejudicar a imagem que elas têm de si e gerar um sentimento de incapacidade muito limitante.

  1. 5. Colocando muitas expectativas sobre seus ombros

Motivar as crianças é muito positivo para o seu desenvolvimento, mas fazê-lo em demasia pode fazer com que se sintam “pressionadas” e incapazes de corresponder às expectativas dos pais. Frases como “Você pode se esforçar mais”, “É muito fácil, você pode” ou “Você vai conseguir, continue tentando” encorajam as crianças a se darem mais, mas em um ponto podem fazer com que as crianças se sintam fracassadas por não ser capaz de fazer mais. É importante que os pais incentivem os filhos a seguir em frente, mas também os ensinem quando chegar a hora de abandonar essa meta e mudá-la.

Jennifer delgado – Etapa Infantil

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.