Com uma incrível duração de 1.774 dias, a erupção do vulcão Kilauea, no Havaí, Mauna Ulu, se espalhou por cinco anos. Na época, foi a erupção mais longa do Kilauea e produziu cerca de 460 milhões de metros cúbicos de lava. De 1969 a 1974, a surpreendente erupção foi facilmente visível ao público através de plataformas de observação e produziu alguns fenômenos naturais incríveis raramente vistos durante esses eventos vulcânicos.

O US Geological Survey publicou recentemente uma imagem tirada em 1969 pelo fotógrafo JB Judd, que mostra uma fonte em cúpula rara. Medindo cerca de 65 pés (20 metros) de altura, a fonte em cúpula simétrica foi um dos doze eventos de fonte que ocorreram durante o primeiro ano da erupção. A propagação da lava para fora durante os eventos da fonte foi tão pesada que se espalhou no oceano a 12 km de distância.

A fonte em cúpula simétrica durou vários dias, de 10 a 13 de outubro, e pode ter atingido até 245 pés de altura. Então, o que torna esta fonte em cúpula tão especial? Eventos típicos de fontes são sprays ascendentes de lava, como um gêiser. Em vez disso, ver uma orbe brilhante semelhante ao Epcot Center formada de lava é extremamente raro. Embora a foto aparentemente pareça que a fonte em cúpula está no meio da água, o evento ocorreu em terra. As ondas em primeiro plano são, na verdade, ondas de lava.

O chafariz normalmente ocorre quando uma erupção de lava de uma fissura, abertura ou lago de lava é acionada quando o gás que borbulha na rocha derretida causa expansão – e explosão. Embora Mauna Ulu não seja mais a erupção mais antiga – Pu’u ‘Ō’ō, que está acontecendo desde 1983 ganhou esse prêmio – a fotografia é um lembrete de quão ativos os vulcões do Havaí têm sido ao longo da história.

De My Modern Met

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.