A história de Hipócrates e a teoria dos estados essenciais datam de quase quatro séculos em nossa era. É considerada uma das primeiras abordagens à psicologia, uma nova ciência que nasceu vinte séculos depois.

Hipócrates é chamado de “pai da medicina” porque foi o primeiro no Ocidente a sistematizar o conhecimento disponível sobre saúde e doença. Ele também propôs uma explicação para esses fenômenos e meios terapêuticos para tratá-los.

“É muito mais importante saber qual pessoa está sofrendo de uma doença do que saber de qual doença a pessoa está sofrendo.” -Hippocrate-

A teoria de Hipócrates sobre os estados de espírito essenciais foi assimilada e usada pela maioria dos médicos até meados do século 19. Isso nos dá uma ideia da solidez dos fundamentos de Hipócrates. De fato, continuamos hoje a citar alguns dos postulados dessa teoria.

A teoria dos humores essenciais

A teoria dos humores essenciais de Hipócrates sugere, para resumir, que o corpo humano consiste em quatro substâncias. Estas substâncias recebem o nome de humores. Eles devem manter um equilíbrio perfeito entre eles. Quando eles perdem, a doença aparece, tanto no corpo quanto na mente.

Qualquer deficiência ou doença significava que o equilíbrio dos estados de ânimo tenha alterado. Portanto, para curá-los, era necessário encontrar uma maneira de restaurar o equilíbrio perdido.

Segundo a teoria dos humores essenciais, as substâncias que compõem o corpo humano são: a bílis negra, a bílis amarela, o sangue e a linfa. Cada um desses humores está diretamente relacionado a um elemento do universo e a uma qualidade atmosférica. O relacionamento seria:

Bile negra: terra, seco e frio

Bílis amarela: relacionada ao fogo, seca e quente

Sangue: ligado ao ar, molhado e quente

Linfa: relacionada à água, úmida e fria

Humor e personalidade

Hipócrates nunca viu a doença como um tema exclusivamente orgânico. Ele manteve uma concepção em que a mente e o corpo formavam apenas uma realidade. Portanto, o que estava acontecendo na mente tinha efeitos no organismo físico e vice-versa.

Os alunos da escola peripatética trouxeram um novo elemento à teoria dos humores essenciais. Eles sugeriram que a predominância de um dos humores leva a um temperamento específico nas pessoas. Mais tarde, Galien completou essas idéias. Ele apontou que o desequilíbrio do humor afeta nosso modo de ser, sentir, pensar e agir.

Os alunos da escola peripatética trouxeram um novo elemento à teoria dos humores essenciais. Eles sugeriram que a predominância de um dos humores leva a um temperamento específico nas pessoas. Mais tarde, Galien completou essas idéias. Ele apontou que o desequilíbrio do humor afeta nosso modo de ser, sentir, pensar e agir.

Foi o próprio Galen quem acabou por estabelecer a existência de quatro temperamentos da teoria dos humores essenciais. Aqui estão eles:

Melancolia. Caracteriza quem tem predominância da bile negra em seu corpo. Pessoas com esse temperamento são tristes, bastante prováveis ​​e orientadas para atividades artísticas.

Colérico. Representa aqueles que têm uma grande quantidade de bílis amarela. Isso leva a um temperamento apaixonado, com enorme vitalidade e uma tendência a se irritar com muita facilidade.

Sangue. Neste caso, o humor do sangue predomina. Os traços do temperamento do sangue são autoconfiança, alegria, otimismo, expressividade e sociabilidade.

Fleumático. Caracteriza aqueles que têm uma predominância de linfa em seu corpo. As pessoas fleumáticas são atenciosas, justas, quietas, com pouco compromisso e um pouco preguiçosas.

Abordagens hipocráticas no mundo de hoje

Hipócrates, Galeno e todos os seus seguidores criaram e completaram a teoria dos humores essenciais baseados na observação. Eles não aplicaram nenhum método científico. Com o nascimento e a consolidação das ciências formais, toda essa teoria caiu em desuso. Hoje, não é dada qualquer validade objetiva: é considerada apenas como referência histórica.

No entanto, a teoria dos humores essenciais tem o mérito de ter sido o primeiro esforço sério para classificar diferentes tipos de temperamentos. O fato desses médicos ilustres entenderem que as emoções também têm consequências fisiológicas também é muito interessante.

De fato, os primeiros psicólogos foram inspirados pelas teorias de Hipócrates e Galeno. De um modo ou de outro, esses pensadores demonstraram muita intuição. Suas classificações são semelhantes aos diferentes tipos de personalidade definidos pelos pesquisadores, quase 2000 anos depois desses precursores das ciências da saúde.

 

Nos pensées

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.