Jardinagem não é um hobby simples, mas, como muitos estudos destacaram, ela pode se transformar em uma verdadeira terapia de bem-estar e isso também é verdade para as crianças. Ao cuidar das plantas, os pequenos podem aprender habilidades importantes, como paciência e bondade, mas também trabalhar em sua autoestima.

Alguns anos atrás, pesquisas estudaram o impacto da jardinagem nos pequenos, descobrindo inúmeros benefícios, incluindo o poder de mantê-los saudáveis. Mas isso não é tudo, cuidar das plantas também é bom para as crianças, porque as ajuda a desenvolver algumas habilidades e valores importantes.

Mas como transmitir a paixão pela jardinagem para os pequenos? O designer de paisagem e especialista em jardinagem, Kier Holmes, em um artigo da National Geographic nos sugere como envolver as crianças no cuidado de plantas e nos faz descobrir todas as vantagens dessa atividade.

Antes de tudo, a jardinagem é uma ferramenta que ensina assuntos reais, como matemática e ciências, mas também é capaz de fornecer lições de vida às crianças (e não apenas), estimulando o crescimento de valores importantes, como bondade, paciência e responsabilidade.

1 – Paciência

Cuidar das plantas ensina a esperar, a natureza de fato tem seu próprio tempo e só podemos ter paciência para ver os frutos do trabalho realizado com a terra. As mais belas flores e frutos maduros chegam apenas ao final da estação de crescimento de cada planta e, portanto, não há nada a fazer senão esperar.

A paciência é um presente muito útil que ajudará as crianças a enfrentar situações difíceis com a devida calma e incentivará seu desempenho acadêmico (até mesmo para aprender, de fato, você precisa de um tempo e não ter pressa).

Como cultivar esse dote: Kier Holmes nos aconselha a introduzir gradualmente as crianças na arte da paciência, a partir de colheitas mais rápidas, como girassóis (são necessários de 7 a 10 dias para fazê-las brotar) ou rúcula (em 5 a 7 dias). pronto para comer). Só mais tarde, lentamente, você pode passar para o cuidado de plantas que requerem mais tempo e paciência para ver os frutos do seu trabalho. Nesse caso, as crianças também podem manter um diário de jardinagem para documentar os vários estágios do cultivo de suas plantas com a ajuda de palavras, desenhos ou fotos.

2- Consciência

Um dote que subestimamos com frequência é a conscientização, que muitos estudos demonstraram ser úteis no alívio do estresse. Estar “aqui e agora”, com a consciência de ver e entender o que está acontecendo naquele momento específico, explica a terapeuta infantil de Kentfield, Jennifer Couture, ” ajuda a fortalecer qualidades como empatia, bondade, gratidão e generosidade “.

Cuidar das plantas é uma experiência que envolve todos os sentidos, as crianças podem ver as diferentes cores, perceber cheiros e sons e, concentrando-se em todos esses aspectos juntos e no momento em que estão vivenciando, podem desnvolver consciência e calma: pensam, observam e descobrem que “elas têm o poder de controlar seus sentimentos e pensamentos maiores “.

Como cultivar essa habilidade: designe pequenas tarefas de rotina, como regar ou cavar, e estimule-as a viver experiências com vários estímulos sensoriais.

3 – Bondade

Presente importante, não apenas por ter um bom relacionamento com os outros, mas também por maior desempenho acadêmico e maior probabilidade de ter uma carreira de sucesso (de acordo com alguns estudos). Ser gentil com as plantas, a terra e as pessoas (inclusive a nós mesmos) ajuda a desenvolver empatia e relacionamentos positivos. ” Também pode ajudar a controlar sentimentos de ansiedade e depressão ” , segundo a psicóloga Christine Curtin.

Para sobreviver e crescer da melhor maneira possível, o jardim precisa de toda a nossa gentileza e nossa ajuda, cuidar das plantas ajuda a criança a desenvolver um senso de preocupação para aqueles que mais precisam.

Como cultivar esse dote: estimule a criança a cuidar do jardim da maneira mais delicada possível, mantendo-o saudável, por exemplo, cultivando plantas que mantêm insetos afastados, como tomilho e tansy, ou libertando joaninhas com o mesmo objetivo.

4 – Responsabilidade

As crianças que se sentem responsáveis ​​também costumam ser as mais capazes e confiantes, portanto, capazes de fazer escolhas, entender a diferença entre o bem e o mal e pensar criticamente. Cuidar de uma planta exige um compromisso constante ao longo do tempo; na verdade, ela tem a tarefa de fazê-la crescer saudável e forte. Um bom exercício de responsabilidade, em suma.

Como cultivar esse dote: dê à criança a oportunidade de lidar independentemente com uma única planta ou uma área específica do seu jardim. Ela será, portanto, a única responsável pelo que acontece na área escolhida. Também é possível “tematizar” seu compromisso, por exemplo, fazendo-a ocupar-se por todas as ervas aromáticas, todas as flores vermelhas ou outras.

5 – Autoestima

Ver que, graças ao seu trabalho, flores e plantas crescem no jardim é algo muito bom para as crianças, contribuindo para o desenvolvimento da auto-estima correta. Pode acontecer, no entanto, que haja falhas, mas isso também serve e faz parte da vida e dos ensinamentos que cada pessoa deve valorizar.

Crianças com autoestima positiva são mais capazes de experimentar coisas novas e também de superar derrotas aprendendo com seus erros.

Como cultivá-lo: para aumentar a autoestima das crianças, você pode escolher atividades para as quais obtém um resultado rápido, como poda ou cuidar de uma pequena árvore, como um limão anão, que pode ser um exemplo por muito tempo do objetivo alcançado.

Tudo o que resta é tirar os vasos e sementes do chão e começar a trabalhar imediatamente com seus filhos!

Fontes: National Geographic / via GreenMe

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.