Jordan Bernt Peterson (Fairview, Alberta, Canadá, 12 de junho de 1962) é um psicólogo clínico canadense e professor de psicologia da Universidade de Toronto. Suas principais áreas de estudo são a psicologia da anormalidade, social e pessoal, com particular interesse na crença ideológica e na psicologia da religião.[3] Ele é autor de Maps of Meaning: The Architecture of Belief, de 1999, e de “12 Regras Para a Vida: Um antídoto para o caos”, best-seller lançado em 2018 pela Editora Alta Books.

 

Neste video, o Dr. Jordan Peterson discute sobre as mentiras que são contadas para as jovens mulheres (e também para os homens) acerca da vida profissional e pessoal delas, e como essas mentiras acabam impactando suas vidas, quando atingem os 30 anos.

 

Assista ao vídeo (legendado) ou, se preferir, leia a transcriação logo abaixo.

Eu quero fazer um vídeo direcionado às mulheres jovens, pois eu gostaria de
dizer quais mentiras estão contando para elas e quais elas ainda vão ouvir. E há
algumas mentiras, a primeira delas é:
Você vai ter uma carreira.

Não. Uma parcela muito pequena das pessoas tem carreiras. Talvez 2%. A
maioria das pessoas tem empregos. E a definição de emprego é: uma atividade
que você é pago para fazer, porque você não a faria voluntariamente. Então,
primeiro de tudo, você não vai ter uma carreira, você vai ter um emprego.
Segundo: A maioria dos empregos não é muito desejável, e não tem um
significado profundo. Eles não ocuparão o lugar central na sua vida.
E mesmo que você tenha uma carreira, digamos, que você seja um advogado,
você descobrirá que é muito exigente e muito difícil, muito estressante e muito
competitivo. E você não encontrará a satisfação do seu desejo de ter, por
exemplo, uma relação íntima com alguém em um campo competitivo como a
advocacia. Não vai acontecer.

E se você for ser médico, será algo em torno de 60 horas semanais de trabalho.
Então, carreiras são excepcionalmente exigentes. Você nunca termina. Você está
sempre trabalhando. E empregos são… as pessoas te pagam para trabalhar
porque os trabalhos são difíceis, desagradáveis, requerem responsabilidade e
decisões difíceis. Ok, então essa é a primeira mentira.
A segunda mentira é: A carreira, ou o emprego, é o propósito fundamental da
vida. Isso não é verdade. As coisas mais importantes da vida são a sua família,
seu relacionamento e os seus filhos. E você pode não saber disso aos 19 anos,
porque… o que diabos você sabe com 19 anos? Você não sabe nada! Sete anos
atrás você tinha 12 anos! Você não sabe nada!

E o que você não entende é que, quando você tiver 40 anos, se você não tiver
uma família e filhos, você será uma alma perdida. Porque, conforme você
envelhece… quer dizer, eu tive uma carreira muito boa, e ela ainda está
progredindo muito bem, e eu não espero acabá-la… (a não ser que alguém fique
particularmente irritado comigo) pelos próximos 15 ou 20 anos.
Mas eu posso te dizer que, apesar de tudo isso, apesar de eu ser
completamente fascinado pela minha profissão e minha carreira, eu estou numa
posição de muita sorte, porque é um trabalho extraordinariamente interessante.
Desde que eu tive os meus filhos eles se tornaram a coisa mais importante na
minha vida, e, conforme eu envelheço, isso se torna cada vez mais claro.

Então, os ocidentais… Carl Jung comentou sobre isso certa vez. Ele pensava
que, pelo fato do heroi arquetípico fundamental da cultura ocidental ser Cristo, e
por ele ter morrido com 30 e poucos anos, que nós não temos de fato um bom
modelo para a segunda metade da vida. É uma ideia bem interessante. Mas…
eu posso dizer com certeza que… se você não tiver uma família, na segunda
metade da sua vida (especialmente se você também não tem um parceiro(a)…
você será uma criatura solitária, miserável e isolada. E você não vai querer
isso…
E, cada vez mais nós vamos ter uma sociedade onde haverá um número grande
de mulheres velhas e isoladas, que não têm ninguém.

Bom, isso em parte porque os homens morrem mais jovens, comparado com as
mulheres. Mas você estava falando sobre essa feminista famosa que não teve
filhos. Assim… Não ter filhos… e você se dá conta, quando tiver 35 anos, se você
não prestar atenção e for mulher, pensa: E agora… eu não tenho mais tempo
para ter filhos!”

E isso não é divertido, não é uma coisa boa para se compreender. E talvez você
tente a roleta da reprodução assistida pelos próximos 10 anos, e acredite em
mim: É como ter uma doença quase fatal, não é algo divertido.

Existem diversas comunidades de homens jovens que sabem exatamente do
que você está falando. Eles a chama de “Baby Rabies”, mulheres que atigem os
trinta anos e de repente elas querem ter um filho. É uma coisa bem conhecida
dos homens que têm muitos encontros com essas mulheres e que lidam com
isso. E parece ate que elas agem como isso não estivesse acontecendo, mas
elas nunca observam a realidade. Mas isso está de fato acontecendo como as
pessoas estão descrevendo. De qualquer forma que você pense sobre isso,
deve estar errado, mesmo que você não consiga identificar o porquê está
errado. Porque de fato isso não está acontecendo na realidade.

Bem, está errado porque, de certa forma, a vida não é tão complicada. Existem
coisas fundamentais… as pessoas pensam: “o que eu devo fazer da vida?”
Ok, beleza, a primeira resposta para isso é: Faça o que as outras pessoas
sempre fizeram, a não ser que você tenha certeza que você é excepcional de
alguma maneira. E mesmo que você seja, você provavelmente é excepcional em
uma coisa, não em todas.

Então, o que você deve fazer? bem… se eduque o máximo que você conseguir
para que você se torne útil, para que você tenha uma habilidade, ou múltiplas
habilidades que outras pessoas irão te pagar para exercer.

E não só por isso, mas porque você deve contribuir para o seu próprio sustento e
para ajudar na sobrevivência do restante da comunidade. Então você tem que
fazer isso. Tome jeito, faça um curso técnico ou uma faculdade. E você vai
precisar de um emprego. E vai precisar de um parceiro(a) íntimo. E então, uma
família. E se você não tiver algum desses, aí você terá problemas.

E você pode não concordar com isso, porque você pode ser cínico sobre isso ou
prematuramente cínico… o que… tantas mulheres jovens, quando você pergunta
para elas quando elas têm 19 anos, se elas querem ter filhos e elas dizem: “Ah,
acho que não…” Veja: Você não sabe do que você está falando.

E o porquê das pessoas terem decidido que você é um tipo de autoridade nesse
assunto não é nada mais que uma marca do quanto a nossa cultura se tornou
patológica.

Você não sabe de nada! você é uma criança! Você não leu nada, você não
conquistou nada, seus pais tomaram conta de você até hoje. E você poder dar
opinião em algo profundo como a forma com que a sociedade deveria ser
construída… é um absurdo!

E é perigoso para as mulheres, porque elas não entendem onde isso vai levá-las.
Outras mulheres mentem para elas. Elas não sentam com as meninas de 19
anos e dizem: “veja, você deve perseguir uma carreira, você é inteligente, você
tem algo a oferecer. E a sociedade precisa da sua inteligência. Mas é melhor
você ficar esperta, porque as mulheres têm vidas complicadas e elas também
têm que ter uma família. E você vai lutar muito para descobrir como balancear 
essas duas coisas. E ninguém vai te ajudar!”

 

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.