Arqueólogos em Taiwan encontraram o fóssil de uma mãe segurando um bebê nos braços, que tem quase 5.000 anos.

Quarenta e oito conjuntos de restos mortais desenterrados em túmulos na área de Taichung, que datam de 4800 anos, são os primeiros vestígios de atividade humana encontrados no centro de Taiwan.

A descoberta mais surpreendente entre eles foi o esqueleto de uma jovem mãe olhando para uma criança embalada em seus braços.

A mãe tinha 1,6 metros de altura; o bebê 50 centímetros.

“A jovem mãe segurando o bebê nos surpreendeu mais”, disse a líder da equipe Chu Whei-Lee, na época, ao National Geographic. “Acho que eles foram enterrados sob a casa por seus entes queridos”, acrescentou ela.

A escavação do local começou em maio de 2014 e levou um ano para ser concluída.

“Quando foi descoberto, todos os arqueólogos e membros da equipe ficaram chocados. Por quê? Porque a mãe estava olhando para o bebê em suas mãos”, disse Chu Whei-lee, curador do departamento de antropologia do Museu Nacional de Ciências Naturais de Taiwan , disse

A datação por carbono foi usada para determinar as idades dos fósseis, que incluíam as de cinco crianças.

No local também foram encontrados uma grande variedade de objetos, de vasos de cerâmica a dentes de tubarões. Apesar de todas as descobertas serem incríveis, os restos mortais da mãe e do bebê foram o que mais chamaram a atenção dos arqueólogos.

Uma mãe ainda embalando o seu bebê por 4800 anos

Até hoje os pesquisadores não puderam identificar como morreram a mãe e a criança, mas a datação por carbono mostrou que eles estão enterrado nesta posição comovente há pelo menos 4800 anos.

Eles foram enterrados perto de uma casa de pedra, em um túmulo compartilhado. O bebê foi disposto nos braços da mãe, que teve o rosto direcionado para face de seu filho, para que ela o embalasse amorosamente para sempre.

Os corpos foram enterrados em um típico alinhamento norte-sul. Entretanto, eles estavam deitados de costas (em vez de ficarem de bruços como os outros túmulos no local). Isso é algo muito raro, principalmente em um enterro da idade da pedra.

Uma cultura de pescadores

Os pesquisadores acreditam que antigamente An-ho foi uma cidade costeira. Isso porque foram encontrados mais de 200 dentes de tubarão entre as moradias, as cinzas e os túmulos do local. Isso sugere que o mar era importante para as pessoas que ali habitavam.

Essa descoberta vai ajudar os arqueólogos a descobrirem não apenas como esta antiga civilização viveu, mas também como eles lidaram com a morte.

Publicado antes no So Cientifica

Imagem: Reuters

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.