A mansão de Margarida Bonetti foi tema de podcast do jornal Folha de S.Paulo, que relatou que a mulher morava na casa que parecia abandonada.

Ela não saia de casa e, sempre que aparecia nas janelas, seu rosto estava coberto por pomada branca.

Ela teria crescido naquela casa e, casada, mudou-se para os Estados Unidos com o marido, ainda nos anos 70.

Contudo, seu companheiro foi indiciado e condenado por manter uma empregada em condição análoga à de escravidão, Margarida conseguiu fugir para o Brasil ainda durante as investigações. Agora, porém, ela teria se mudado para local desconhecido, mas deixou seus cachorros em condição de abandono.

Após o podcast com sua história bombar nas redes sociais, de Margarida Bonetti não foi mais vista no local e não se sabe do seu paradeiro. Segundo reportagem do R7, a mansão se tornou um um point em Higienópolis, sendo muitas as pessoas que se dirigem ao local, especialmente para tirar fotos.

Abaixo, confira reportagem da Band Jornalismo:

No domingo, o ativista da causa animal, delegado Bruno Lima, acionou o Instituto Luisa Mell para que resgatassem os cachorros.

Eles estavam em condições insalubres e havia mau cheiro no local.

Integrantes do Instituto Luisa Mell resgatou no domingo (3) cachorros que estavam em uma mansão em Higienópolis, área nobre de São Paulo, e que passou a ser conhecida como o imóvel onde vivia a “mulher da casa abandonada”.

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.