Uma menina de dois anos de Los Angeles, Califórnia, está provando ser mais do que uma criança normal depois de ser aceita na Mensa, uma sociedade de alto QI, com um QI de 146.

A criança, Kashe Quest, que em breve fará 3 anos, foi eleita o membro americano mais jovem da organização, de acordo com a Fox 11 de Los Angeles.

“Começamos a notar que a memória dela era muito boa. Ela simplesmente aprendeu as coisas muito rápido e estava realmente interessada em aprender mais”, disse a mãe de Quest, Sukhjit Athwal, na entrevista.

Athwal afirmou que por volta dos 17 meses, sua filha já era capaz de reconhecer o alfabeto, números, cores e formas. Ela acrescentou que a Quest também está aprendendo espanhol e conhece mais de 50 sinais em linguagem de sinais.

A mãe admitiu que foi uma luta encontrar uma pré-escola que pudesse “atender” ao alto QI de seu filho. Mas como ela tem experiência em educação, ela decidiu abrir uma pré-escola onde pudesse ensinar 12 crianças, incluindo o Quest.

Apesar da inteligência da criança, seus pais ainda precisam lidar com coisas que crianças “normais” de dois anos fazem.

“Ela ainda é uma criança normal de dois anos, onde temos negociações, temos acessos de raiva, temos tudo e é diferente por causa da maneira como nos comunicamos com ela”, disse Athwal. “Tem que ser diferente porque ela consegue entender um pouco mais.”

Athwal também enfatizou que quer ter certeza de que sua filha “tenha uma infância” e não se sinta “forçada”. Ela disse que está permitindo que seu filho controle seu próprio ritmo para que ela possa ser “jovem enquanto puder”.

A pessoa mais jovem a se juntar à Mensa foi Muhammad Haryz Nadzim, do Reino Unido, que foi aceito na Mensa aos dois anos de idade. Ele marcou 142 no teste de inteligência de Stanford-Binet.

Informações do G1

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.