O que é uma ‘mentalidade de vítima’?

Ter uma “mentalidade de vítima” significa que você culpa os outros ao seu redor pelos desafios que você porventura tenha que enfrentar, mesmo que você não consiga provar qualquer ação negativa, provocada por outra pessoa, que possa ser atribuída como a causadora do seu problema.

Você também pode culpar muitas coisas em circunstâncias, o que você vê como sempre injustas.

Ser realmente uma vítima vs a autopiedade vs a mentalidade da vítima

Coisas ruins podem acontecer na vida. Você pode ser vítima de um crime, como fraude ou até mesmo agressão sexual . Nesse caso, você tem todo o direito de sentir que as coisas estavam fora de seu controle, porque elas estavam, e qualquer pensamento de que isso seja de alguma forma culpa sua, e que você foi responsável, é um pensamento errôneo.

Também é perfeitamente normal sentir pena de si mesmo de vez em quando , ou sentir-se impotente diante de um desafio como um luto ou divórcio .

“Mas se você tiver uma mentalidade de vítima, verá toda a sua vida através de uma perspectiva de que as coisas ruins acontecem constantemente “para você”. A vitimização é, portanto, uma combinação de ver a maioria das coisas na vida como negativas, além do seu controle. No fundo, a mentalidade de vítima é, na verdade, uma maneira de evitar assumir qualquer responsabilidade por si ou por sua vida. Acreditando que você não tem poder, portanto, aceita e evita tomar qualquer ação”.

Uma pessoa saudável, por outro lado, reconhece que além das ocorrências ruins aleatórias, muitas coisas na vida acontecem por causa das escolhas que elas mesmas fizeram, e que elas têm o poder de escolher de forma diferente. E elas entendem que quando o infortúnio acontece, não tem nada a ver com valor pessoal ou “merecedor” ou “não merecedor”.

Por que eu escolho sempre ser vítima?

Agindo constantemente como uma vítima a pessoa pode realmente achar que tem algumas vantagens. Estas podem ser:

  • você não tem responsabilidade pelas coisas
  • você tem o “direito” de reclamar e receber atenção
  • outros sentirão pena de você e lhe dará atenção
  • as pessoas são menos propensas a criticar ou incomodar você
  • os outros se sentem obrigados a ajudá-lo e a fazer o que você pede
  • você pode contar histórias sobre as coisas que aconteceram com você e parecer interessante
  • não há tempo para ficar entediado porque há muito drama em sua vida
  • você pode evitar sentir raiva enquanto está ocupado demais sendo triste e aborrecido.

Se você observar as declarações acima, você já pode ver o padrão de quais podem ser os verdadeiros benefícios de ser uma vítima. Eles são:

1. atenção
2. sentindo-se valorizado
3. poder

O poder secreto por trás de ser uma vítima

Estás surpreso que interpretar a vítima lhe dá poder, porque se convenceu de que sua vida é tão terrível que você não tem poder algum? Isto é o que uma vítima diz a si mesma.

“Mas ter outros sentindo pena de você pode facilmente ser uma maneira de manipulá-los para atender às suas necessidades e desejos. Isso pode ser algo pequeno, como alguém sempre indo às lojas para você, ou pode ser mais profundo e insidioso, como o seu ‘pobre de mim’ agindo para forçar o outro a te tratar bem e nunca gritar com você, ou não deixá-lo, mesmo que ele ache que deveria”.

Um exemplo de vitimização como forma de poder é uma relação co-dependente, como a entre um alcoólatra e seu parceiro. O “cuidador” pode desempenhar uma vítima, aturar o terrível comportamento do alcoólatra e sacrificar suas próprias necessidades para cuidar dele, apenas para um dia usar a culpa, reclamações no estilo “pobre de mim” para depois tentar controlar o alcoólatra.

Em uma situação mais sombria, o papel da vítima também pode ser uma maneira comum do agressor tomar o poder, chamado de “fazer a vítima” em psicologia. Uma forma menos inconsciente de vitimização, pode ser quando um agressor constantemente coloca seu parceiro para baixo, em seguida, fixa na vezes em que a parte abusada retrucou e o atacou com ofensas , fazendo com que eles sejam de fato os “atacados”. Ou um agressor dirá que não é culpa dele que ele atinja a outra pessoa quando essa pessoa é tão chata e estúpida e ele tem que “aturar”. Desta forma, um abusador usa a mentalidade “pobre de mim” para defender seu comportamento sociopata.

Por que sou o tipo de pessoa que interpreta a vítima?

O que te faz mais propenso a ser o tipo que vive a vida com uma mentalidade de vítima?

Como a maioria dos padrões comportamentais, a mentalidade de vítima é um comportamento aprendido que pode ser rastreado até a infância.

Você pode ter aprendido a ser vítima porque viu os adultos ao seu redor fazendo isso. Se a sua mãe ou pai, por exemplo, sempre sentiu que o mundo estava sempre contra ele e queixava-se diariamente de todas as pessoas, você aceitará que essa é uma boa maneira de ganhar poder e atenção pessoal.

É possível que tenha tido uma relação co-dependente com um dos seus pais. Você teria se sentido responsável por seu bem-estar, como cuidar de um doente (mentalmente ou fisicamente), ou ser levado a acreditar que você era responsável pela felicidade deles. A mensagem que uma criança pode assimilar aqui é que não só você tem que “ganhar” o amor, mas que se você estiver doente ou fraco, outros vão cuidar de você. Ambos podem levar a padrões de vitimização como um adulto.

Ou você pode ter aprendido a ser uma vítima porque foi uma maneira de sobreviver à sua infância. Quando criança, todos nós precisamos de atenção e amor, e se não for oferecido gratuitamente por nossos cuidadores, somos levados a encontrar meios de recebê-lo. Talvez, na casa de sua família, a única maneira de receber atenção e cuidado seria ficarndo doente, parecendo mais fraco ou permitindo que coisas ruins acontecessem com você.

Muitas pessoas que vivem a vida de uma mentalidade de vítima foram vítimas de abuso quando na infância, frequentemente abuso sexual. O desamparo que uma criança sente, combinado com as profundas causas do sentimento da vergonha, pode significar que você se transforme em um adulto que não tem auto-estima e que vê o mundo como um lugar perigoso no qual todos estão prontos a atacá-lo.

O que devo fazer se reconhecer que sofro de vitimização?
Em boa nota, porque a mentalidade de vítima é um comportamento aprendido, você pode de fato “desaprender” isso.

É, no entanto, um processo que leva tempo e pode ser bastante intenso, especialmente se estiver ligado a traumas de infância, como abuso ou negligência.

E lidar com vitimização significa que você deve encarar a raiva, a tristeza, a vergonha e o medo que a vítima protege e esconde.

Por isso, é recomendável procurar apoio quando se lida com a mentalidade da vítima. Um conselheiro ou psicoterapeuta treinado e experiente pode criar um espaço seguro e sem julgamentos para você explorar por que você age como vítima e quais eventos da infância levaram a esse comportamento como um adulto. Eles então ajudarão você a aprender novas maneiras de pensar e ver o mundo que são mais úteis para você.

Fonte: harleytherapy.com.uk

“Este conteúdo tem apenas o caráter informativo, portanto não deve jamais ser usado como ferramenta de diagnóstico. Para obter um diagnóstico confiável é recomendado que você consulte um profissional especializado antes de tomar ou abster-se de qualquer ação com base no conteúdo gratuito em nosso site.”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS