Morgan Porterfield Freeman Jr. (1937) nasceu em Memphis, Tennessee, no dia 1 de junho de 1937. Filho da professora Mayme Edna e do bombeiro Morgan Freeman passou a maior parte de sua infância com sua avó. Com oito anos subiu no palco pela primeira vez enquanto cursava o 3º ano da escola primária.

Depois de atuar em pequenos papeis, Morgan Freeman ganhou prestígio e virou celebridade após sua atuação em “Armação Perigosa”, quando foi indicado ao “Oscar de Melhor Ator Coadjuvante”. O ator só ganhou popularidade em 1989, com 52 anos, com “Conduzindo Miss Daisy”, onde encenou o motorista da personagem interpretada por Jessica Tandy. O ator recebeu o “Globo de Ouro de Melhor Ator – Comédia Musical” e foi indicado ao “Oscar de Melhor Ator Principal”.

O ator de 81 anos compartilha o que aprendeu em décadas de vida e trabalho.

Quando eu tinha 21 anos, alguém me disse: “Não procure encrencas”. Eu tento seguir isso. Mas encrencas são a coisa mais fácil do mundo de encontrar. Saber evitar o confronto é que é a grande sacada para se safar.

Recentemente comecei a jogar golfe. O golfe é um jogo realmente maravilhoso porque é como a vida – você nunca vai dominá-lo. É uma lição difícil porque você luta para melhorar. E sim, você vai melhorar. Mas você nunca estará satisfeito com sua melhora, então tenta se superar cada vez mais, mas logo se dá conta que isso é infinito, porque parece que vão surgindo novas bordas que você precisa se esforçar para atingir.

Eu sempre quis voar. Quando eu era criança eu fazia aviões sem papel e sonhava que poderia voar. Eu tive muitos sonhos caindo, mas nunca chegava ao chão. Eu sempre, de alguma forma, me estabilizava. Eu finalmente aprendi a pilotar em 2002.

O mais difícil de aprender a voar é aprender a falar no rádio. Você tem que ouvir e entender o que eles te dizem e o que isso significa. Às vezes há muita tagarelice porque há muitos aviões no ar e há muitas instruções, e você está ouvindo as suas. Isso é como a vida. São muitas instruções te dizendo o que fazer e o que não fazer, mas você precisa se concentrar e separar as instruções que realmente são direcionadas a você, porque as outras são para outras pessoas e não vão te servir, e podem te mandar para direção errada.

Você precisa descobrir o que quer da vida. Tem que saber aonde quer chegar para poder traçar sua rota, caso contrário, vai ficar rodando em circulo. O bom é que descubra isso cedo, mas qualquer tempo é tempo.

Eu cresci no Mississippi e me formei no ensino médio lá. Hollywood fica muito longe de lá. Mas há sempre uma coisa a seu favor: um ônibus. Tudo que você precisa, então, é um pouco de coragem. Há pessoas que nunca foram mais do que algumas centenas de quilômetros de onde cresceram. E tem pessoas como eu. Eu estou pronto para ir aonde tiver que ir, e sempre foi assim. porque minha mãe me encorajava. E foi assim que cresci, com minha mãe dizendo: Você pega o ônibus e vai.

Eu morava em Los Angeles quando saí do exército e andava a pé, porque não tinha outra forma de chegar aos lugares que não fosse essa. Eu não conhecia ninguém, não tinha amigos com quem conversar. Então eu comprei um carro e de repente todas as mulheres disseram olá para mim. Era um Ford conversível branco de 1951. Então não tente viver em Los Angeles andando. Arranje algumas rodas.

Eu sempre achei que a carreira vem em primeiro lugar. A família é um mecanismo de suporte. Não funciona ao contrário.

Uma das coisas que eu digo aos jovens, particularmente aos meus filhos, é: “Você consegue o que quer”. Saiba fazer distinção entre “querer” e “gostaria de ter”. O que você quer é o que você vai colocar na porta da geladeira. Você vai se concentrar nisso e conseguir. Isso vai acontecer. É imparável.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.