Primeira mulher a presidir a Academia Brasileira de Letras (ABL), Nélida Piñon morreu aos 85 anos, neste sábado (17), em Lisboa, Portugal. A escritora e acadêmica foi a quinta ocupante da Cadeira 30 da ABL. Escreveu, entre outras obras, “Guia-mapa de Gabriel Arcanjo”, “A República dos Sonhos”, “A Doce Canção de Caetana” e “O Calor das Coisas”.

Nascida no Rio de Janeiro, Nélida Piñon formou-se em jornalismo na Faculdade de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Nélida Piñon teve suas obras traduzidas em mais de 30 países e foi vencedora de dezenas de prêmios, nacionais e internacionais.

Foi titular da Cátedra Henry King Stanford em Humanidades, da Universidade de Miami, no período de 1990 a 2003 (ocupada anteriormente por Isaac Baschevis Singer, prêmio Nobel de Literatura de 1978).

Obras
Seu primeiro livro foi “Guia-mapa de Gabriel Arcanjo”, um romance de 1961. Recentemente, em março deste ano, “A República dos sonhos” foi publicado na China. Romance de 1984, a obra também foi traduzida para o francês, o inglês e o italiano.

A história de “A República dos Sonhos” foi inspirada na vida dos pais de Nélida, imigrantes da Galícia. A obra fala da história de Madruga, jovem que deixa a Galícia para embarcar num navio rumo ao Rio de Janeiro junto do companheiro Venâncio. A partir de um emprego numa pensão da Praça Mauá, a vida de Madruga passa por uma trajetória de êxitos e fracassos que colocam à prova seus ideais de liberdade e felicidade. Décadas depois, coube à neta, Breta, juntar os fragmentos e reconstituir a história de sua família, que se confunde com a história recente do país.

1961: “Guia-mapa de Gabriel Arcanjo” (romance)
1963: “Madeira Feita Cruz” (romance)
1998: “Tempo das Frutas” (contos)
1969: “Fundador” (romance)
1972: “A Casa da Paixão” (romance)
1973: “Sala de Armas” (contos)
1974 “Tebas do Meu Coração” (romance)
1977: “A Força do Destino” (romance)
1980: “O Calor das Coisas” (contos)
1984: “A República dos Sonhos” (romance)
1987: “A Doce Canção de Caetana” (romance)
1994: “O Pão de Cada Dia” (fragmentos)
1996: “A Roda do Vento” (romance infanto-juvenil)
1999: “Até Amanhã, Outra Vez”
1999: “O Cortejo do Divino e outros Contos Escolhidos”
2002: “O Presumível Coração da América” (discursos)
2004: “Vozes do Deserto” (romance)
“O Ritual da Arte”, ensaio sobre a criação literária (inédito)
2006: “La Seducción de La Memória”
2008: “Aprendiz de Homero” (ensaios).
2009: “Coração Andarilho” (memórias)
2012: “Livro das Horas”
2016: “Filhos da América”

Fonte: g1

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.