Uma mulher na Austrália caiu de um penhasco para a morte no sábado depois de tentar tirar uma foto no local precário.

Rosy Loomba, 38, estava com o marido e filho quando o acidente ocorreu no Parque Nacional de Grampians, no estado australiano de Victoria, segundo o Nine News. Eles estavam no Boroka Lookout, uma saliência ao lado de um penhasco que tem uma vista panorâmica das montanhas e da cidade abaixo.

A polícia disse que Loomba ultrapassou as barreiras de segurança e sinais de alerta, para posar em uma rocha para uma foto quando ela tropeçou na borda, caindo mais de 80 metros (cerca de 262 pés) abaixo da face do penhasco, de acordo com Nine News.

Testemunhas ouviram Loomba gritando, mas não puderam ajudar. A polícia e o serviço de emergência estadual trabalharam por seis horas para escalar o penhasco e resgatar seu corpo.

Rosy Loomba está sendo lembrada como uma mãe amorosa.

A plataforma de observação esteve encerrada ao longo da tarde durante o processo de recuperação, mas foi reaberta ao público pelas 22h00

O mirante é um local para fotos particularmente popular; uma busca rápida pela etiqueta de localização no Instagram mostra dezenas de fotos mostrando pessoas na encosta do penhasco, pernas balançando sobre a borda ou equilibradas em uma rocha estreita perto da borda. Alguns até filmaram a si próprios dando cambalhotas pela borda.

O guia turístico local Graham Wood disse ao Nine News que alertou seus clientes sobre os riscos apenas meia hora antes da queda de Loomba. “Comentei com meus clientes que isso (pessoas subindo pela barreira) acontece o tempo todo”, disse ele. “E um dia desses, alguém vai cair. Estou triste que isso tenha acontecido.”

Na sequência, as autoridades lembraram o público de respeitar os sinais e orientações de segurança e que nenhuma foto vale a vida de uma pessoa.

“Não podemos isolar todas as partes de Victoria”, disse a Ministra da Polícia Lisa Neville. “As pessoas têm que assumir responsabilidades.”

Com informações de 9News

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.