Varsóvia, na Polônia, tornou-se a última cidade a apresentar projetos de arte pública que também limpam o ar da cidade, enquanto um mural gigante feito de pigmentos especiais para limpeza de poluição ativados pelo sol foi pintado por artistas locais.

Organizado pela empresa de roupas esportivas Converse como parte de sua campanha City-Forests, o mural foi produzido com tinta fotocatalítica com dióxido de titânio que atrai poluentes do ar antes de convertê-los em nitratos inofensivos por meio de um processo químico que envolve a luz solar.

Por meio desse processo, o mural supostamente purifica o ar circundante equivalente a 720 árvores e, quando a campanha terminar, os murais espalhados por vários países devem estar fazendo o trabalho de 3.000.

O mural foi erguido em um prédio de frente para uma popular estação de metrô e apresenta uma coleção de flores sorridentes emaranhadas entre prédios altos. Os artistas poloneses Maciek Polak e Dawid Ryski projetaram a imagem, que foi executada pelo centro artístico local Good Looking Studio, envolvendo especialistas muralistas.

Entre as flores estão as palavras “Criar Juntos para o Amanhã”, uma mensagem positiva para inspirar a mudança, que os funcionários da Converse acreditam que ajudará a acolher as pessoas que estão retornando aos seus deslocamentos diários após períodos de isolamento do COVID-19.

Looking Good Studio website

“… Por enquanto tudo está mais lento. Na Converse, vimos isso como uma oportunidade de falar e ajudar a produzir ar fresco através da pintura de murais ”, disse um porta-voz.

Um movimento global

Depois de Bangcoc, na Tailândia, Varsóvia representa a segunda cidade a terminar um mural , entre 13 grupos para erigir os murais City-Forests – Belgrado, Lima, Sydney, Jacarta, Manila, São Paulo, Santiago, Joanesburgo, Melbourne, Bogotá e Cidade do Panamá.

Looking Good Studio website

No entanto, a Converse não é a única a usar essas tintas especiais para limpar o ar. O designer holandês Studio Roosegaarde ergueu uma série de outdoors em Monterrey, México, que usam a mesma tinta fotocatalítica da arte em Varsóvia.

Cada outdoor gera a mesma quantidade de ar limpo que 30 árvores a cada 6 horas – e pode funcionar por até cinco anos – lidando com parte da poluição que se aloja no vale mexicano, fora do alcance de fortes correntes de vento.

Daan Roosegaarde , o cérebro por trás dos outdoors, é um especialista em projetos de design sem poluição. Para Pequim, ele produziu o maior purificador de ar do mundo, que filtra 30.000 metros cúbicos de ar puro por hora – e transforma os poluentes em diamantes literais que são vendidos para pagar pela construção de novos dispositivos.

Sem surpresa, o holandês é um ciclista de coração e espera que seus dispositivos tornem Pequim uma cidade para ciclistas novamente.

“Pequim costumava ser uma cidade icônica para bicicletas”, disse Roosegaarde. “Junto com a experiência chinesa e holandesa, vamos trazer de volta a bicicleta como um ícone cultural da China e como o próximo passo em direção a cidades sem poluição.”

Via Good news network – Crédito das imagens: Looking Good Studio website

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.