Somos humanos porque estamos em constante interação com outras pessoas. É por isso que achamos tão desconcertante e prejudicial receber tratamento indiferente. A indiferença se manifesta quando uma pessoa trata outra como se ela não existisse, ignora-a ou limita suas conversas a respostas simples.

“O oposto do amor não é o ódio, é indiferença. O oposto da beleza não é a feiura, é indiferença. O oposto da fé não é heresia, é indiferença. E o oposto da vida não é a morte, mas a indiferença entre a vida e a morte “.
-Elie Wiesel-

O que a indiferença faz?
A indiferença tem muitos efeitos prejudiciais. Vamos rever apenas alguns dos destaques:

Provoca uma forte tensão mental
Se não soubermos o que a outra pessoa pensa, se não pudermos “lê-la”, nossa mente ainda fará um esforço para decifrar a outra pessoa com pouca ou nenhuma informação disponível. A médio e longo prazo, essa atitude provoca ansiedade, busca de novas respostas e estresse, o que se traduz em tensão mental.

Gera confusão
A indiferença quebra um mecanismo básico na consciência humana: o mecanismo de ação e reação. Cada vez que agimos de uma determinada maneira, esperamos que a outra pessoa reaja de acordo.

Embora às vezes essa reação não seja a esperada, é muito difícil entender a total ausência dela. A comunicação se torna impossível e a tentativa de interagir se torna forçada e desgastada.

Dá origem a baixa auto-estima
Por não receber qualquer tipo de resposta desta pessoa, qualquer feedback que possamos ter é cortado. Nos estágios da formação da personalidade, isso pode ter um impacto sério na autoimagem. É provável que a pessoa que recebeu indiferença nesses estágios venha a acreditar que não vale a pena interagir com ela, levando a uma forte insegurança.

Como reagir a alguém que me trata com indiferença?

Embora ninguém tenha a obrigação de prestar atenção em nós, nós sempre aspiramos a estabelecer uma relação de interação constante com nossos entes queridos: família, amigos e parceiros. Se você receber indiferença de alguém importante para você, tente avisá-lo.

Tente explicar a situação de um ponto de vista objetivo e também apelando para seus próprios sentimentos. Será necessário explicar como sua atitude faz você se sentir e pedir a ela para refletir. Haverá pessoas que simplesmente não podem abandonar esse modo indiferente de tratar os outros. Se é alguém muito importante para você, você terá que fazer um esforço para procurar uma interação.

É importante que você o faça pouco a pouco e gradualmente, ou você corre o risco de gerar um “efeito rebote” e aumentar a indiferença em relação a você. É altamente provável que tais pessoas tenham sofrido um tratamento indiferente na infância ou na adolescência.

Um último recurso: fugir
Se o método anterior não funcionar para você, se você sentir que começa a sofrer os efeitos prejudiciais da indiferença, o mais saudável será se afastar. Se perceber que as conseqüências prejudiciais já estão sendo “instaladas” em você, é urgente que renuncie a ter um relacionamento próximo com essas pessoas e procure proximidade com outras pessoas, para quem você é importante.

Integre-se em grupos onde você é ouvido e seu modo de ser é valorizado. Romper com uma relação de indiferença lhe dará uma nova perspectiva sobre o mundo e impulsionará seu desenvolvimento.

 

Artigo publicado em La mente es Maravillosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.