Do site Etapa Infantil

A natureza é sábia e sabe como obter a ligação mágica entre mãe e filho

Se você é mãe, com certeza vai lembrar de como amava cheirar seu filho quando esse era bebê. E não tem nada de estranho nesse hábito que toda mãe desenvolve assim que tem seus filhos em seus braços. Isso é na verdade até muito normal, pois o cheiro do recém-nascido provoca no cérebro um efeito narcótico, isto é, um efeito muito semelhante ao produzido por drogas. E além disso, é viciante. Não há mãe no mundo que se canse de cheirar seu bebê.

Dizem que o parto é a única data às cegas em que você vai conhecer o amor da sua vida, e é assim que é. As mães se apaixonam por seus filhos e os hormônios da oxitocina têm muito a ver com isso. Além disso, a natureza faz com que o bebê cheire, de modo que, quando a mãe cheirar, sinta a calma, o prazer e a felicidade, para que você não se canse de fazê-lo e cuide do seu bebê, aconteça o que acontecer.

Um estudo confirma
Para confirmar que esta teoria é verdadeira, um estudo foi feito pela revista “Frontiers in Psychology”. Nele trinta mulheres foram acompanhadas. Metade delas tinha acabado de ser mãe e a outra metade não tinha filhos. Elas foram convidadas a identificar vários odores, e entre esses estava um pijama usado por um bebê. As mulheres cheiravam objetos com os olhos cobertos e os pesquisadores observaram o que estava acontecendo em seus cérebros.

Aquelas que tinham acabado de se tornar mães rapidamente identificaram o cheiro do bebê e os níveis de dopamina no cérebro aumentaram (a parte do cérebro que está associada à recompensa). As mesmas áreas do cérebro eram ativadas quando cheiravam a roupinha do bebê ou quando cheiravam alimentos que lhes agradavam. A dopamina continuou a aparecer em cena … quando a dopamina é liberada no cérebro, a sensação é aproveitada assim como quando as drogas são usadas … embora, claro, no primeiro caso, seja natural e sem sérias conseqüências para a saúde.

Uma união pela vida

A natureza garante que o bebê e a mãe liberem hormônios suficientes para que, desde o momento do nascimento, a união seja criada. O principal hormônio, como observamos acima, é a oxitocina, conhecida como hormônio do amor. Logo após a mãe ter dado à luz seu corpo experimenta uma inundação desse hormônio … tanto que atinge os níveis máximos, mais do que pode alcançar em qualquer outro momento da vida.

Portanto, é a ocitocina, juntamente com a dopamina, que garante que tudo corra bem no vínculo entre a mãe e o bebê e se crie forte e indestrutível. A mãe sempre estará ao lado de seu filho para cuidar e protegê-lo, porque o seu instinto de mãe acaba de ser criado e nada nesse mundo o romperá. Ela se tornou uma mãe e seu filho fará parte de seu coração enquanto ela tiver um sopro de vida.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.