Adaptado de Psicología para Niños

Não é incomum conhecer filhos de pais divorciados ou separados que falam de maneira muito natural sobre o assunto. No entanto, também existem crianças que enfrentam muitos problemas relacionados a essa situação e preferem negar ou evitar o problema, pois gera uma série de sentimentos que não são apenas desconfortáveis, mas difíceis de entender e expressar.

Independentemente das condições em que a separação ocorreu, sempre serão observadas mudanças no comportamento da criança, uma vez que implica uma mudança significativa no sistema familiar, o que acarreta consequências emocionais significativas, tanto para os pais quanto para os filhos.

Em muitos casos, as crianças são mais afetadas por argumentos, conflitos, raiva e agressões entre os pais do que pela própria separação.

Um aspecto fundamental para que essa situação seja menos difícil para as crianças é convencê-las de que, embora pai e mãe tenham decidido se separar, ambas permanecerão lá para o que elas precisarem. Leve em consideração essas 10 dicas para facilitar tudo.

1 – Promova um bom relacionamento entre seus filhos e seu ex-parceiro
A menos que haja histórico de maus-tratos, problemas de dependência ou distúrbios mentais graves, é melhor que você faça o seu melhor para que seus filhos tenham um bom relacionamento com seu ex-parceiro. Lembre-os de datas especiais, como aniversários, dia das mães ou dia dos pais e, se necessário, ajude-os a escolher um presente. Com o tempo, eles valorizam essa maturidade em você e tentam imitá-la.

2 – Tente ser flexível
As crianças sofrem muito quando assistem aos pais brigando para decidir quem estará com eles em determinadas datas, pois, se fosse por eles, estariam com os dois. O calendário de custódia é um dos principais pontos de conflito entre casais separados. Sempre pense no que seria melhor para eles. Por exemplo, se seu ex pede que seus filhos passem um certo tempo com ele porque seus tios e primos vão visitá-lo, pense em quanto isso poderia ser proveitoso para eles, e não em sua própria solidão. Se o seu ex não é igualmente atencioso com você e seus filhos … ou nem conversa, a melhor coisa que você pode fazer é dar um exemplo e dar a eles a oportunidade de desfrutar de ambas as famílias.

3 – Trate o seu ex como você gostaria que ele o tratasse
Pode não ser fácil, já que geralmente há uma história de ofensas e ressentimentos, mas quando você sentir ganas de vingar-se ou descontar as mágoas usando as crianças como arma, faça o possível para se controlar e faça outra coisa com sua frustração. Evite a todo custo que seus filhos continuem a testemunhar atos violentos entre mãe e pai.

4 – Não sinta pena de si mesmo
Mesmo que doa dizer adeus a eles, evite despedidas dramáticas e emocionais. As crianças podem se sentir muito angustiadas se acreditarem que seus pais sofrem com sua ausência. Tente não dizer-lhes que você precisa delas, que se sente mal sem elas. Simplesmente deseje-lhes que passem bem e deixe que recebam o mesmo amor do seu ex, assim como o recebem de você. Se possível, mantenha contato com elas, mas não se preocupe, ou atrapalhe demais para impedir que eles se divirtam.

5 – Não fale mal do seu ex na frente de seus filhos
nunca faça isso, mesmo que você ache que tem motivos para fazê-lo. Seus filhos não são os culpados por seus problemas e merecem ter um bom relacionamento com os dois pais igualmente. Se você falar mal do seu ex, a única coisa que você causará é confundi-lo e fazê-lo sentir-se culpado por amá-lo ou amá-la.

6 – Seus filhos não são mensageiros
Nunca use seus filhos para enviar uma mensagem ao seu ex; Eles podem não apenas mudar o significado de suas palavras, mesmo sem intenção, mas se sentir muito mal se houver uma reação ruim à declaração. Se você tem algo a dizer a ele/a, faça-o diretamente.

7 – Nunca compare com seu ex-parceiro,
Se seu filho fizer algo que você não gosta e sua maneira de reagir é dizer: “Você é igual a seu pai (ou sua mãe)!” Você só fará com que ele se sinta culpado e prejudique sua autoestima Quando você sentir muita frustração, é melhor conversar com um amigo ou um terapeuta, não com seus filhos.

8 – Desapegue-se de suas ações
Lembre-se de que, se vocês se decidiram se separar, isso provavelmente ocorreu devido a diferenças de opinião sobre um assunto ou vários, e se não concordaram enquanto estavam juntos, por que poderiam fazê-lo agora que estão separados? Viva sua vida e deixe seu ex viver a vida dele como ele deseja. A menos que seja algo que envolva algum risco para seus filhos, deixe que eles se relacionem com à sua maneira. Desapegue-se de suas ações e do seu modo de ser e cuide de se desenvolver como pessoa e como pai.

9 – Não lhes atribua sua felicidade
Uma mãe ou pai divorciado pode dar uma vida melhor aos filhos se eles conseguirem atender às suas próprias necessidades antes. Não procure que eles sejam o centro de sua vida, por menores que sejam, eles perceberão que são necessários para você e você gerará neles sentimentos de culpa por não serem capazes de fazê-lo feliz. Desenvolva seus hobbies, estabeleça uma rede social e procure apoio emocional e psicológico, se achar necessário. Não esqueça que antes de ser mãe ou pai, você é uma mulher ou um homem.

10 – Prepare-se para o seu próximo relacionamento
Se você tem um novo parceiro, tente separar sua vida amorosa da vida familiar, até sentir que o relacionamento é sério. As crianças podem sofrer mais após uma segunda separação. Mostre, com suas ações, que eles estão acima de qualquer outra pessoa. Se o seu novo parceiro tiver filhos, lembre-se de que o pai ou a mãe sempre os amarão e, assim, evite que eles sintam ciúmes.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.