Estar comprometido com alguém não significa que a pessoa deva se anular em prol da outra ou do relacionamento. Num relacionamento existem três conjuntos de valores envolvidos: os valores que cada um já possui e os que o casal determinou como regra do próprio relacionamento.

Determinar como o parceiro deve agir é tolher os seus direitos. As suas regras de conduta devem ser seguidas por você, não impostas ao outro. Existem as regras obrigatórias que estão implícitas naturalmente numa situação de convívio a dois. Se essas estão sendo infringidas, é natural que se cobre.

Porém, a sua própria lei foi criada com base nos seus valores e conveniências pessoais, que na maioria das vezes têm apenas a função de atender aos seus caprichos e inseguranças. Portanto, se as suas regras estão sendo infringidas pelo parceiro, talvez o problema esteja nelas e não no parceiro.

No vídeo a seguir o professor Flávio Gikovate fala sobre essas cobranças e o quanto elas são ruins para um convívio a dois.

 

Flávio Gikovate nasceu em 1943 e publicou 34 livros. Psiquiatra, dedicou-se à psicoterapia e tornou-se um dos mais conceituados e reconhecidos psicoterapeutas brasileiros. Para conhecer diversos livros do autor clique AQUI

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.

COMENTÁRIOS