Para ter um vislumbre da cultura baiana de uma perspectiva literária , você não pode de ler as obras do grande escritor Jorge Amado.
Jorge Amado publicou 32 livros que foram traduzidos para 48 línguas e é mais conhecido por seus três romances, Capitães da Areia , Dona Flor e Seus Dois Maridos , e Gabriela, Cravo e Canela .

Nascido na Bahia em 1912, suas obras foram muito influenciadas pelas divisões contrastantes de ricos e pobres da sociedade com a qual ele cresceu. Aqui estão 12 dos melhores livros de Jorge Amado .

1. Capitão das areias

Capturando o colorido da cultura baiana por meio de descrições vívidas, o livro é sobre um grupo de jovens fugitivos e órfãos que cunham sua gangue ‘Capitães da Areia’ e sobrevivem por meio de atos ousados ​​de roubar, mendigar e ir contra a elite de Salvador. No entanto, em pouco tempo, os moradores se cansam de seus costumes criminosos e pressionam as autoridades para capturá-los, colocando em risco o futuro dessas 100 ou mais crianças.

2. Gabriela, Cravo e Canela

O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela, um dos mais sedutores personagens femininos criados por Jorge Amado, tem como pano de fundo, em meados dos anos 1920, a luta pela modernização de Ilhéus, em desenvolvimento graças às exportações do cacau. Com sua sensualidade inocente, Gabriela não apenas conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheenses, colocando em xeque a lei que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue. Publicado em 1958, o livro logo se tornou um sucesso mundial. Na televisão, a história se transformou numa das novelas brasileiras mais aclamadas mundo afora.

3. Dona flor e seus dois maridos

Um dos romances mais populares de Jorge Amado, levado com êxito ao cinema, ao teatro e à televisão, Dona Flor e seus dois maridos conta a história de Florípedes Paiva, que conhece em seus dois casamentos a dupla face do amor: com o boêmio Vadinho, Flor vive a paixão avassaladora, o erotismo febril, o ciúme que corrói. Com o farmacêutico Teodoro, com quem se casa depois da morte do primeiro marido, encontra a paz doméstica, a segurança material, o amor metódico.
Um dia, porém, Vadinho retorna sob a forma de um fantasma capaz de proporcionar de novo à protagonista o êxtase dos embates eróticos. Por obra da fantasia literária de Jorge Amado e da intervenção das entidades do candomblé, Flor consegue conciliar no amor o fogo e a calmaria, a aventura e a segurança, a paixão e a gentileza.

4. A Morte e a morte de quincas berro d’água

História sombria, mas espirituosa, este romance envolvente é sobre Joaquim Soares da Cunha, um cidadão modelo que, depois de aposentado, se levanta e deixa tudo para trás e se torna Quincas, jogador e bêbado. A sua morte pouco depois é apenas o começo, pois volta não como Joaquim mas como Quincas que ainda vive uma vida vibrante, apesar de já estar morto.

5. O sumiço da santa

Para ter uma ideia da atmosfera vibrante do Carnaval na Bahia, O sumiço da santa é uma leitura ideal, pois pinta um quadro vívido desse evento universalmente conhecido. A história gira em torno de Santa Bárbara, ícone sagrado que ganha vida ao chegar ao cais de uma cidade da Bahia. Enquanto ela toca a cidade com sua magia e ajuda uma jovem apaixonada que é presa por sua tia, a vida dos moradores desta cidade baiana começa a mudar.

6. A descoberta da América pelos turcos

Como muitos dos livros de Amado, a história contém referências à luxúria e ao desejo sexual, mas sem ser muito explícita. A história se entrelaça com a chegada de dois turcos à Bahia com a alta de Adma, uma garota cujos pais tentam casá-la por ser considerada pouco atraente fisicamente e temperamental. Existem muitas descrições de visitas a bordéis locais onde os homens podem satisfazer seus desejos.

7. Terras do Sem-Fim

A história tece conceitos de ganância, assassinato e luxúria enquanto duas famílias lutam para garantir mais terras no nordeste do Brasil para construir plantações de cacau. A terra é conquistada com violência e malandragem, auxiliada pelo uso de pistoleiros, e em pouco tempo os trabalhadores enfrentam ali péssimas condições enquanto tentam ganhar dinheiro rápido e fácil. A história é salpicada com descrições coloridas de corrupção, prostituição e conflitos políticos, criando uma leitura envolvente que pinta vividamente as paisagens da Bahia.

8. Tenda dos Milagres

Tenda dos Milagres está repleta de ricas descrições da cultura brasileira, imagens vívidas da Bahia e relatos precisos de preconceitos da vida real contra brasileiros negros. A história é baseada nos protagonistas Pedra Archanjo que começa com o seu nascimento e leva o leitor à idade e ao virar romancista. Um dos temas fascinantes do livro são os relatos da macumba, religião no Brasil com fortes raízes africanas.

9. Tieta do Agreste

O livro apresenta uma situação dramática clássica: a de uma adolescente que é denunciada por sua irmã Perpétua a seu pai, Zé Esteves, por conta de suas aventuras e liberdade. Recebe uma surra de cajado, e é escorraçada de casa pelo pai. Depois de mais de 25 anos, ela volta rica e poderosa para a cidade de Sant’Ana do Agreste. A sua volta estão típicos representantes do interior baiano, lutando pela sobrevivência, defendendo ou resistindo a preconceitos, almejando pequenas ambições, um microcosmo do conservadorismo brasileiro que compõe um painel vivo dos conflitos e consequências provincianos que antecedem a chegada de sinais de mudanças entendido como ‘progresso’.

10. Tereza Batista: casa das guerras

Órfã de pai e mãe, Tereza é criada por sua tia Filipa, que a vende para o Capitão Justiniano Duarte da Rosa, dito Capitão Justo, que tinha predileção por adolescentes virgens. O capitão a estupra e a trata com crueldade, fazendo-a escrava sexual.

Tereza apaixona-se por Daniel, um jovem estudante, e tornam-se amantes. Quando o capitão os surpreende, dá uma sova ao rapaz e quando se prepara para o humilhar sexualmente, Tereza, enfurecida, dá-lhe uma facada nas costas, matando-o. Na prisão, Tereza é atendida pelo advogado Lulu dos Santos, por ordem do dr. Emiliano. Resgatada por ele, Tereza passa por um breve período de felicidade no Sergipe, até que o doutor morre, deixando-a sem guarida. A partir daí ela passa a se prostituir e conhece um pescador com quem vive um lindo e breve romance. Ela vai para Salvador da Bahia e passa a cantar num cabaré. Conhece outro homem e decide se casar com ele, mas o seu grande amor, o pescador, retorna.

11. Mar Morto

Um dos primeiros romances de Amado, Mar Morto se passa no cais da Bahia e conta as histórias dos marinheiros que lá trabalham e de seu dia-a-dia, incluindo amor, luxúria e lutas pela sobrevivência. Também há referências à deusa de Iemanjá, divindade das águas do candomblé, conjunto de crenças comuns em Salvador e em outras partes da Bahia.

12. Os velhos marinheiros

Situado em Periperi, uma pequena cidade costeira do Nordeste do Brasil, Os velhos marinheiros conta a história do Capitão Vasco Moscoso de Arago, um marinheiro recém-aposentado que chega à cidade e encanta com suas histórias de ousadas travessuras de marinheiros e romances apaixonados . No entanto, um rival pesquisa seu passado e descobre que nunca teve as experiências que dizia ter tido. No entanto, quando o rival está prestes a desvendar a verdade, o Vasco é chamado a conduzir um navio após a morte do seu capitão anterior, oferecendo ao Vasco a oportunidade de concretizar as suas histórias.

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.