Nos últimos anos, várias pesquisas científicas mostraram que os cães podem sentir emoções semelhantes às que os humanos experimentam.

Um estudo realizado na Universidade Emory, em Atlanta (Estados Unidos), mostrou que esses animais experimentam as mesmas sensações sentidas pelas crianças e que o nível de sensibilidade de ambos é muito semelhante.

Cães têm a mesma sensibilidade que uma criança

Isto é demonstrado pelo estudo realizado pelo neurologista Gregory Bens, que, depois de realizar um teste em vários cães, até por conta própria, conseguiu demonstrar que os cães têm a mesma sensibilidade que uma criança.

O experimento consistiu em selecionar alguns desses animais para submetê-los a uma ressonância magnética . Durante o teste, os cães foram expostos a vários tipos de estímulos, que iriam gerar uma certa atividade cerebral.

De acordo com o estudo, a atividade cerebral dos cães aumentou à medida que recebiam sinais sobre a dieta ou os odores das pessoas conhecidas por eles.

Os cães podem ser pessimistas ou otimistas?

Por outro lado, outro estudo relacionado a emoções em cães mostrou que esses animais podem ser otimistas ou pessimistas como nós humanos.

Em outras palavras, quando um cachorro fica sozinho na casa, ele agita e demonstra claramente através de latidos, destruindo móveis ou fazendo suas necessidades dentro de casa.

Nesse sentido, a pesquisa revelou que os cães ficam ansiosos quando permanecem sozinhos, demonstrando uma atitude clara em relação ao pessimismo.

O chefe da equipe de investigação da Universidade de Bristol (Reino Unido) que completou o estudo é o professor Mike Mendl.

O homem afirmou através de vários canais de comunicação que sua equipe foi capaz de desenvolver um novo método para estudar a diferença entre decisões pessimistas ou otimistas em cães.

Este grupo de especialistas realizou o estudo usando 24 cães que haviam sido recentemente colocados em um abrigo para cães.

Um dos investigadores interagiu com cada cão em uma sala isolada por vinte minutos.

No dia seguinte, ele trouxe cada cão de volta para o quarto, deixando-o sozinho por um período de cinco minutos, quando o animal foi gravado com uma câmera.

Durante esses cinco minutos, os estudiosos puderam observar como o cão começou a latir, pular na mobília e arranhar a porta. Esses comportamentos foram repetitivos em todos os animais.

Para estudar a tomada de decisões nesses mesmos cães , os investigadores colocaram uma tigela de comida e outra tigela vazia dentro da sala . Ambos os vasos foram posicionados em pontos ambíguos.

Os cães que foram rápidos em pular para aqueles pontos ambíguos, como se esperassem por uma recompensa por comida, foram classificados como cães otimistas. Pelo contrário, aqueles que não se aproximaram das tigelas foram chamados de pessimistas.

Mendl disse: “Sabemos que o humor das pessoas influencia seu julgamento e que as pessoas felizes são mais propensas a julgar uma situação ambígua de maneira positiva”. Nosso estudo mostrou que o mesmo procedimento também se aplica aos cães. .

Os resultados sugerem que um comportamento considerado problemático nos proprietários, terá um mesmo significado emocional para seus animais, mesmo quando este comportamento não é propriamente expresso.

Há também a possibilidade de alguns cães responderem com mais ansiedade quando deixados sozinhos.

É importante saber isso porque o comportamento negativo após a separação é comum em cães, e saber como prever esse tipo de reação pode ser útil para tratá-los adequadamente e garantir que eles possam alcançar seu bem-estar.

O que mais os cães podem sentir?

Outros estudos sugeriram que os cães podem experimentar emoções negativas, como os humanos, mesmo em relação ao equivalente de certas condições psicológicas crônicas ou agudas, como a depressão.

Da mesma forma, há alguns anos, sintomas semelhantes à depressão clínica, neurose e outras condições psicológicas foram geralmente aceitos no que hoje é conhecido como emoção canina.

Por outro lado, outras pesquisas revelam que os cães também podem ficar com ciúmes . Este tipo de comportamento, em que um animal experimenta frustração por causa do que acontece com outro animal, também foi encontrado em primatas.

Segundo os cientistas, este tipo de comportamento em cães é provavelmente devido à estreita relação entre estes animais e os seres humanos.

Do site imieianimali

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.