Traduzido e adaptado de Nos Pensees

Até poucas décadas atrás, as mulheres de 50 anos eram vistas como avós agradáveis. Naquela época, pensava-se que elas tinham que se preparar para se aposentar da vida profissional e que sua vida emocional era um assunto resoluto e definido.

Uma das mudanças culturais mais notórias dos últimos anos é precisamente o papel da idade. E isso mudou especialmente entre as mulheres. Antes, por exemplo, não era incomum as meninas de 18 anos se casarem. Hoje, a maioria das mulheres dessa idade não possui um plano de casamento a curto prazo.

“Quem pára de aprender é velho, com 20 ou 80 anos. Quem continua aprendendo permanece jovem. ” – -Henr y Ford

É o mesmo com mulheres de meia idade. 50 anos não é mais a idade para “sair da circulação”. Pelo contrário, o que observamos é que muitas mulheres estão aproveitando esta década de suas vidas para fazer coisas produtivas e motivar-se a viver novas experiências que permaneceram no tinteiro, principalmente por falta de tempo. .

Sabemos, por exemplo, que o número de mulheres de 50 anos que estão se divorciando está aumentando. O número de mulheres que iniciam empresas ou negócios nessa idade também aumenta. Longe de achar que esse é o fim, muitas mulheres dessa idade se envolvem em um novo começo.

Mulheres na meia idade

A meia idade é um estágio de grandes mudanças, em todos os sentidos da palavra. O relógio biológico indica que o ciclo fértil termina. A pele não é tão firme e tensa, descobrimos que as linhas do sorriso permanecem no rosto, mesmo quando alguém está falando sério. Você não pode comer uma fatia de pizza no meio da noite, se não quiser ter um terrível despertar pela manhã.

As mudanças físicas levam a estágios de profunda instabilidade. Mulheres dessa idade devem se acostumar a viver em um novo corpo e nem sempre é fácil. Elas devem aceitar que os padrões pelos quais elas valorizam seu valor mudaram. Algumas nunca aceitam e ainda estão tentando encontrar a pele de 20 anos.

50 também é uma era de equilíbrio. Adquirimos experiência e maturidade significativas. Ao mesmo tempo, ainda temos grande vitalidade. A vida faz pequenos anúncios que indicam que o eclipse está chegando em breve. É por isso que, para muitas mulheres, é hora de tomar decisões importantes que não foram consideradas anteriormente.

A perspectiva do amor e do casal é completamente diferente agora. Nós amamos com mais serenidade. Hoje, na casa dos cinquenta, elas se sentem mais capazes de deixar ir, de desapegar. É por isso que seus relacionamentos são mais livres e saudáveis. Há mais realismo e expectativas sobre o amor adquirindo dimensões mais precisas.

O papel profissional em uma idade maravilhosa

Algumas têm filhos e precisam dividir seu tempo entre um emprego e sua educação. Muitas sentiram que estavam fazendo as duas coisas no meio do caminho. Mas nessa idade, a educação geralmente acaba. As crianças agora são adultos independentes, que não precisam de tutela materna para continuar vivendo.

A maioria das mulheres de 50 anos trabalha ou tem um papel profissional. No final da educação, elas se voltam novamente para esse trabalho que antes poderiam ser um obstáculo, mas que hoje se torna algo fundamental. Elas frequentemente descobrem novas motivações ou objetivos. Muitas nessa idade decidem ir para a universidade ou se inscrever em cursos sobre tópicos de seu interesse.

Os cinquenta são uma ótima década para enfrentar novos desafios profissionais. A experiência de trabalho pode ser considerável e muitos acham que alcançaram uma nova etapa. Elas podem começar seus próprios negócios ou reorientar suas vidas profissionais. É um momento maravilhoso para isso.

Algumas aprendem a viver de outra maneira e com melhor qualidade de tempo. É um momento ideal. Outras sucumbem à nostalgia desnecessária por causa dos anos que se foram e não voltam. Mas todas as dos cinquenta, é claro, têm as ferramentas para arrumar as coisas e aproveitar uma época em que tudo pode ser melhor.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pensar Contemporâneo
Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.