Um fóssil de cair o queixo foi encontrado de um oviraptor agachado sobre duas dúzias de ovos contendo embriões fossilizados dentro – com 7 contendo “bebês” poucas horas após a eclosão.

Encontrado em Ganzhou, no sul da China, o fóssil não tem precedentes na história e contém não apenas uma imagem do animal e de sua prole, mas também de seu próprio comportamento.

A China produziu algumas das descobertas mais importantes do mundo no campo da paleontologia, e este oviraptorossauro, de um grupo de dinossauros terópodes semelhantes a pássaros que prosperaram no período Cretáceo, acabou se revelando um diamante absoluto.

Os solos da China continham os primeiros espécimes que ligavam dinossauros a pássaros e a primeira evidência de dinossauros que viviam em árvores. A nova descoberta de um fóssil parece confirmar que essa espécie era uma espécie que procria – pousando sobre seus ovos como método de incubação.

“Esse tipo de descoberta – em essência, comportamento fossilizado – é a mais rara das raras nos dinossauros”, diz o paleontólogo Matt Lamanna, do Carnegie Museum of Natural History (CMNH).

“Embora alguns oviraptorídeos adultos tenham sido encontrados em ninhos de seus ovos antes, nenhum embrião foi encontrado dentro desses ovos.”

A falta de evidência contextual até agora impediu os paleontólogos de serem capazes de ter certeza de que pássaros, desde seus ancestrais, 70 milhões de anos atrás, sempre incubaram seus filhotes, mas vários fatores nesta descoberta levam a essa conclusão ser muito provável.

Leia também: Moradores ficaram sem luzes de rua por 45 dias para ajudar um pássaro e seus filhotes

Esta ninhada perfeita revelou muito

Preservado com apenas alguns milímetros de espaço entre o osso fossilizado e os ovos, quase nenhum sedimento conseguiu se espremer entre eles, sugerindo que o pai dinossauro os estava incubando.

Além disso, os isótopos de oxigênio medidos nos embriões colocam sua temperatura quase igual à dos ossos dos pais.

“Este dinossauro foi um pai carinhoso que, no final das contas, deu sua vida enquanto criava seus filhotes”, explica Lamanna, que estava na equipe de pesquisa com os autores doutores. Shundong Bi, da Universidade de Indiana da Pensilvânia e Xing Xu, paleontólogo do Instituto de Paleontologia e Paleoantropologia de Vertebrados em Pequim. O estudo foi publicado no Science Bulletin , com o artista científico do CMNH Andrew McAfee produzindo ilustrações para o jornal.

Outras descobertas interessantes foram a presença de esqueletos completos de dinossauros dentro do material do ovo, evidência da dieta dos oviraptores e o fato de que nem todos os ovos foram incubados no mesmo estágio de desenvolvimento – outra marca registrada dos pássaros.

A incubação síncrona é um trabalho árduo e na ordem das aves é feita com a ajuda de ambos os pais alternando as tarefas de incubação. Acredita-se que tenha se originado muito mais adiante na linha evolutiva, pois hoje é um comportamento demonstrado em apenas alguns pássaros.

Leia também: Operários encontram uma carta escrita em 1941 escondida no telhado de uma igreja belga

O oviraptor pode ter abandonado a incubação simultânea muito antes do que os cientistas esperavam. O sexo do oviraptor fossilizado ainda não foi confirmado e oferecerá muito ao mistério.

No estômago do dinossauro, pequenas pedras eram pistas para determinar o conteúdo de sua dieta. Hoje, pássaros, como os perus, têm moela, um órgão primitivo que armazena cascalho, permitindo que o pássaro passe sementes e outros materiais duros ou fibrosos através deles para ajudar na digestão.

“É extraordinário pensar quanta informação biológica é capturada apenas neste único fóssil”, diz o paleontólogo Xing Xu, do Instituto de Paleontologia e Paleoantropologia de Vertebrados de Pequim.

“Vamos aprender com este espécime por muitos anos.”

Adaptado de Good News Network

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.