O Papa Francisco mais uma vez elogiou os méritos da paternidade e da adoção durante a audiência geral no Vaticano na quarta-feira, lamentando que os animais de estimação “às vezes tomem o lugar das crianças”.

Hoje, existe uma forma de egoísmo. Vemos que alguns não querem ter filhos

“Hoje existe uma forma de egoísmo. Vemos que alguns não querem ter filhos. Às vezes eles têm um, e é isso, mas eles têm cachorros e gatos que tomam o lugar das crianças. Pode fazer rir, mas é uma realidade ”, disse o Papa durante a primeira audiência geral semanal do ano.

Perdemos a riqueza da paternidade e maternidade

Segundo ele, “isso equivale a negar a paternidade e a maternidade e nos diminuir, tirar nossa humanidade”. Assim, “a civilização envelhece sem humanidade porque perdemos a riqueza da paternidade e da maternidade, e é a pátria que sofre”, acrescentou o Soberano Pontífice perante os peregrinos reunidos na sala Paulo VI.

O Papa também convidou os casais que não podem ter filhos a “pensar na adoção”. “Ter um filho é sempre um risco, mas há mais risco em não ter filho, em negar a paternidade”, disse, apelando aos fiéis “para não terem medo”.

Jorge Mario Bergoglio já denunciou em diversas ocasiões o “inverno demográfico” e a queda “dramática” da natalidade.

No final da audiência, como sempre acontece, o Papa assistiu a um número de circo realizado com palhaços, malabaristas, dançarinos e músicos, em um ambiente festivo e peculiar que contrastava com o ambiente solene do Vaticano.

Informações do G1

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.