Pesquisadores desenvolveram uma tecnologia que pode mudar a vida de milhões de pessoas pelo mundo. Eles encontraram uma maneira de usar o tronco de árvores jovens para filtrar a água.

Desenvolvido por uma equipe do Massachusetts Institute of Technology (MIT) , a tecnologia de baixo custo é capaz de filtrar até quatro litros de água por dia, removendo até 99% da bactéria E. Coli, que é comum em humanos e animais, porém pode causar problemas em grandes quantidades – infecção intestinal e urinária são os mais comuns.

O ingrediente chave é o xilema, o tecido por onde circula a seiva bruta da planta, que é formado por vasos e pequenos poros. Esses poros impedem que bolhas de ar se espalhem pela estrutura da madeira, mantendo o fluxo da seiva. “É o mesmo objetivo que temos com a filtragem de água, porque queremos filtrar os micróbios, mas manter uma vazão rápida”, diz Rohit Karnik, co-autor do estudo e professor do MIT. Além disso, o tamanho dos poros, de cerca de 500 nanômetros, é perfeito para bloquear agentes patogênicos.

“Existe uma enorme variação entre as plantas. Poderia haver plantas muito melhores lá fora, que são adequados para este processo. Idealmente, um filtro seria uma fatia fina de madeira que você poderia usar por alguns dias, em seguida, jogá-la fora e substituí-la sem quase nenhum custo”, explica Rohit Karnik, professor de engenharia mecânica no MIT.

O produto pode ser a solução para comunidades rurais ou lugares remotos que, por falta de saneamento básico, são abastecidos por água contaminada. Não é intenção do grupo criar algo para o mercado, a ideia é justamente ser uma alternativa de baixo custo e feita em pequena escala.

Informações de CicloVivo

RECOMENDAMOS







Um espaço destinado a registrar e difundir o pensar dos nossos dias.